António Costa admite aumentos salariais gerais na função pública a partir de 2020

“Mas isso é um compromisso que só poderemos assumir quando tivermos devidamente definido o cenário macroeconómico para os próximos quatro anos. Quando tivermos o Programa de Estabilidade, que teremos de apresentar em abril, aí poderemos perspetivar o que podemos contar para o período entre 2020 e 2023”, especificou.

O primeiro-ministro, António Costa durante a intervenção na cerimónia de apresentação do Sistema de Mobilidade do Mondego e de lançamento da empreitada do primeiro troço do MetroBus do Mondego, entre Alto de S. João e Serpins, na Câmara Municipal de Miranda do Corvo, 4 de fevereiro de 2019. PAULO NOVAIS/LUSA

O primeiro-ministro admitiu hoje a possibilidade de haver aumentos salariais para todos os funcionários públicos em 2020, caso a economia apresente indícios de prosseguir uma trajetória de crescimento quando em abril for elaborado o novo cenário macroeconómico.

António Costa assumiu esta posição em entrevista à SIC, depois de ter afastado a possibilidade de o Governo proceder a uma atualização salarial geral na administração pública para o corrente ano.

“Para esta legislatura não estava previsto aquilo que é normal, que é repor a atualização anual dos salários. Este ano, contudo, conseguimos uma margem de 50 milhões de euros e a opção que tínhamos era distribui-los por todos ou concentrá-los numa valorização salarial de quem ganha menos. Esta última é a opção que está decidida”, disse.

Porém, o primeiro-ministro afirmou logo a seguir que a sua expectativa vai no sentido de que, “se o país mantiver a atual trajetória de crescimento e de consolidação das finanças públicas, para o ano se possa retomar a normalidade”.

“Mas isso é um compromisso que só poderemos assumir quando tivermos devidamente definido o cenário macroeconómico para os próximos quatro anos. Quando tivermos o Programa de Estabilidade, que teremos de apresentar em abril, aí poderemos perspetivar o que podemos contar para o período entre 2020 e 2023”, especificou.

Para este ano de 2019, reiterou o primeiro-ministro, a margem disponível para aumentos salariais “vai destinar-se a valorizar os salários mais baixos”.

Ler mais
Relacionadas

Costa afirma que maioria absoluta nas eleições é cenário “virtualmente impossível”

O primeiro-ministro defendeu hoje que o cenário de uma maioria absoluta nas próximas eleições legislativas “é virtualmente impossível” dadas as características do sistema eleitoral e partidário em Portugal, mas ressalvou que “se surgir, melhor”.

Governo apresenta queixa na justiça contra Ordem dos Enfermeiros

António Costa assumiu estas posições em entrevista à SIC, depois de interrogado pelo jornalista José Gomes Ferreira se o Governo tenciona recorrer à requisição civil para travar as consequências das greves dos enfermeiros.

Costa afirma que Governo tomará todas as medidas legais para proteger doentes

O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo tomará todas as medidas “legalmente adequadas” para proteger os direitos dos doentes e acusou alguns sindicatos dos enfermeiros de terem uma conduta cruel em relação aos doentes.
Recomendadas

Nova proposta de lei de freguesias vai a Conselho de Ministros em outubro

“A senhora ministra informou-nos que, nos primeiros dias de outubro, a proposta irá a Conselho de Ministros e, logo no dia seguinte, para a Assembleia da República”, adiantou o presidente da Anafre, Jorge Veloso, em declarações à agência Lusa.

Ferro Rodrigues pede parecer sobre projeto de revisão constitucional do Chega 

O parecer, segundo a agenda da comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, tem por objetivo avaliar “a constitucionalidade do Projeto de Revisão Constitucional n.º 3/XIV/2.ª (CH)”, a pedido do presidente do parlamento.

Siza Vieira sobre Efacec: “Vivemos num Estado de direito e todos os cidadãos e empresas têm o direito de reagir judicialmente”

A Winterfell, da empresária angolana Isabel dos Santos que controlava a Efacec, anunciou esta terça-feira ter apresentado uma ação de impugnação da decisão do Governo de nacionalizar as suas ações na empresa.
Comentários