“António Costa já está meio de saída ao fim de seis ou sete anos”, diz Rui Rio (com áudio)

Na mesma ocasião em que sublinhou estar prestes a bater o recorde enquanto “presidente do PSD que esteve mais tempo como líder da oposição”, Rui Rio garantiu que atualmente é difícil ser-se primeiro-ministro durante 10 anos como aconteceu com Cavaco Silva.

António Cotrim/LUSA

A troca de galhardetes entre o primeiro-ministro, António Costa e o presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio continua. Desta vez, o líder social democrata previu que Costa estava “meio de saída” do Governo.

Durante conferência online organizada pela JSD de Lamego sobre “Importância da ética na política e no exercício da vida pública”, Rui Rio apontou que está prestes a bater o recorde de “presidente do PSD que esteve mais tempo como líder da oposição”.

“E mesmo no PS não sei se houve alguém que esteve tanto tempo à espera. Mas há um recorde que não vou ter: mesmo que chegue a primeiro-ministro, dificilmente baterei o recorde do professor Cavaco Silva que esteve dez anos, hoje é muito difícil ser primeiro-ministro durante dez anos. Por isso é que o dr. António Costa já está meio de saída, ao fim de seis ou sete”, considerou Rui Rio.

Recentemente, a 1 de maio, em entrevista ao Diário de Notícias, Jornal de Notícia e TSF, António Costa criticou a liderança de Rui Rio no PSD e comparou-o a um “cata-vento”, uma vez que deixou que o PSD adotasse “ideias do Chega”. “Um cata-vento tem uma grande vantagem sobre o dr. Rui Rio: é que um cata-vento ao menos tem pontos cardeais, o doutor Rui Rio não tem”, completou.

No dia seguinte, Rui Rio devolveu resposta no Twitter. “Numa entrevista de nível rasteiro, António Costa critica o meu discurso do 25/Abril e diz que o PSD quer atacar a independência do poder judicial. Diz isto, na semana em que o Parlamento Europeu o critica pela politização que fez na nomeação do procurador europeu. Que hipocrisia”, escreveu o presidente social-democrata.

Relacionadas

Rio critica estratégia de “ostracizar” extrema-direita e prefere traçar “linhas vermelhas”

O presidente do PSD, Rui Rio, criticou hoje a estratégia que considera estar a ser seguida na Europa de “ostracizar” a extrema-direita, admitindo ser preferível aceitar o apoio desses partidos, mas sem “nunca permitir que passem linhas vermelhas”.
Recomendadas

Euro2020: Hungria quer surpreender no “grupo da morte”. Conheça os 10 mais valiosos

Com uma convocatória avaliada em 74,5 milhões de euros pelo Transfermarkt, a seleção da Húngria quer desafiar as probabilidades e chegar o mais longe possível no Euro 2020. Saiba quem são os 10 jogadores mais valiosos deste adversário de Portugal.

Euro2020: Rússia quer chegar mais longe. Conheça os 10 jogadores mais valiosos

Com uma convocatória avaliada em 191,8 milhões de euros, a seleção russa espera chegar o mais longe possível na presente edição do campeonato europeu. Para tal, terão de ultrapassar na fase de grupos a Bélgica, Dinamarca e Finlândia, tarefa que não se avizinha fácil.

Covid-19: Portugal com mais 519 casos confirmados e uma morte (com áudio)

A DGS revela que se totalizam 342.069 casos registados no Norte (mais 148), 120.369 no Centro (mais 21), 325.081 em Lisboa e Vale do Tejo (mais 274), 22.558 no Algarve (mais 22), 30.398 casos no Alentejo (mais 20), 5.703 casos na Região Autónoma dos Açores (mais 37). A Região Autónoma da Madeira não apresenta novos casos de infeção, mantendo-se o total nos 9.773.
Comentários