PremiumArrefecimento global põe em causa subida do ‘rating’ de Portugal pela S&P

Standard and Poor’s avalia hoje a dívida soberana portuguesa. A agência norte-americana mantém a notação de Portugal em ‘BBB-’, desde 2017, mas subiu ‘outlook’ para positivo na última avaliação.

Em setembro de 2017, a Standard and Poor’s (S&P) surpreendeu e ao fim de cinco anos retirou Portugal do patamar do ‘lixo’, tornando-se a primeira das três agências de notação financeira que tinham colocado a dívida soberana portuguesa nesta categoria a fazê-lo. A melhoria refletiu-se na confiança das instituições internacionais e no custo de financiamento do país. Esta sexta-feira, a notação de Portugal está novamente debaixo do foco da agência americana e, apesar de os analistas não descartarem uma eventual subida do atual rating ‘BBB-‘, mostram-se cautelosos.

Na última avaliação, em setembro, a S&P manteve a notação da dívida soberana portuguesa, mas subiu o ‘outlook’ de ‘estável’ para ‘positivo’, deixando uma mensagem clara: não descartava um upgrade se o ritmo de redução da dívida pública e privada avançasse ao nível das melhorias na estabilidade financeira, com uma desalavancagem de três a cinco pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) ao ano.

 

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Respostas Rápidas: o que é que a S&P prevê para a economia portuguesa?

A Standard & Poor’s melhorou na sexta-feira a perspetiva do notação soberana portuguesa para positiva. Veja aqui o panorama que a agência prevê para a economia portuguesa nos próximos anos.

Standard & Poor’s sobe perspetiva do ‘rating’ de Portugal

A agência manteve a notação inalterada, mas subiu a perspetiva. “Esperamos que a economia portuguesa cresça perto de 2% anualmente até 2021, com o défice a melhorar até 0,4% do PIB em 2020, de 0,7% este ano”, disse a agência, num relatório.
Recomendadas

PremiumLava-Jato, ferida por suspeitas e Moro mais longe do Supremo

Sergio Moro é o maior trunfo de Bolsonaro, mas o presidente brasileiro tardou a sair em sua defesa e foi pouco efusivo ao fazê-lo. É a primeira grande crise do executivo e põe processos judiciais em causa.

PremiumSérgio Gaio: “Empresas devem preocupar-se em entender os próprios dados”

Sérgio Gaio, ‘associate director’ da Accenture Technology, defende que a tendência no sentido de bens e serviços cada vez mais personalizados pode ser positiva sobretudo para os setores da indústria.

PremiumPSD sai reforçado das europeias, mas a procissão vai no adro

O PSD ficou à frente em nove dos 11 municípios da Madeira, partindo com vantagem para as eleições regionais. Mas os especialistas frisam que o eleitorado faz uma distinção entre europeias e regionais.
Comentários