PremiumAs virtudes e desafios da ‘cloud’ para empresas

Uma ferramenta que se revelou importante na transição digital, nomeadamente na passagem para o teletrabalho, as clouds estão cada vez mais sofisticadas e comuns, mas os desafios são ainda muitos.

A expressão “novo normal” tem figurado recorrentemente desde que a Covid-19 obrigou a uma alteração profunda das nossas rotinas. No entanto, para muitas empresas essa alteração processava-se já antes da chegada do novo coronavírus e passava pela adoção das tecnologias de cloud nos seus negócios, como ficou expresso na Executive Round Table realizada em parceria pelo JE, EVONIC e VMware.

“Se faço uma reflexão relativamente ao estado em Portugal deste ‘novo normal’, e observo em Espanha também, diria que aproximadamente metade das empresas do PSI-20 já têm este tipo de iniciativas de cloud híbrida”, afirma Alexandre Bento, Iberia Commercial Sales Manager da VMware.

Através de soluções mistas entre cloud pública (detida e operada por fornecedores externos) e privada (que utiliza estes recursos exclusivamente pela empresa que contrata o serviço), as empresas conseguem fazer uso das vantagens que traz esta tecnologia, nomeadamente mais flexibilidade, capacidade de escalar e o uso de ferramentas inovadoras, protegendo-se até certo ponto de algumas ameaças, sobretudo através da diversificação do risco.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Propostas dos operadores superam os 194 milhões de euros no quinto dia da licitação principal do leilão do 5G

Em leilão estão faixas dos dos 700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz. No conjunto dos mais de 50 lotes em concurso, o preço base total é de 195,9 milhões. Esta quarta-feira, sete lotes viram o seu preço base aumentar.

Sindicatos da TAP foram avisados de que BE ia propor auditoria à gestão de Neeleman

A auditoria proposta pelo Bloco de Esquerda não será viabilizada no Parlamento. O projeto de resolução entregue pelo BE a recomendar ao Governo uma auditoria à gestão privada da TAP, não chegará a qualquer conclusão no sentido de saber quais são as efetivas responsabilidades do empresário David Neeleman na gestão da TAP e na situação financeira em que a companhia aérea se encontra.

AHRESP defende revogação da medida que proíbe venda de bebidas em ‘take-away’

A associação refere que a medida “apenas vai prejudicar a já difícil situação dos estabelecimentos”. A AHRESP acrescenta que “o que se quer prevenir é o consumo de produtos à porta do estabelecimento ou nas suas imediações, e não a venda”.
Comentários