Atriz Rita Salema é a mandatária do Aliança às europeias

A escolha, anunciada esta quinta-feira, assenta num compromisso do partido de Pedro Santana Lopes em trazer caras novas e com “provas dadas” para a política.

A atriz Rita Salema é o nome escolhido para mandatária do partido Aliança às eleições europeias, agendadas para 26 de maio. A escolha, anunciada esta quinta-feira, assenta num compromisso do partido de Pedro Santana Lopes em trazer caras novas e com “provas dadas” para a política.

“Viemos para fazer diferente e por isso damos também um sinal de que valorizamos a Cultura e a intervenção cívica de todos os cidadãos, seja qual for a profissão ou o sector de que provenham”, explica, em comunicado, o cabeça de lista do Aliança às europeias, Paulo Sande, afirmando estar “honrado” com a presença da atriz, de 52 anos, na campanha.

Rita Salema tem-se destacado em várias áreas, como o teatro, televisão e ensino. A atriz diz que acredita em projetos novos “que podem fazer a diferença e mudar o que precisa de ser mudado”.

“Há momentos em que é preciso sermos protagonistas e pormos as nossas forças, capacidade, saberes, disponibilidade ao serviço das causas e das equipas em que acreditamos. Paulo Sande e toda a lista da Aliança para as europeias mostram que é possível trazer gente nova, competente e com provas dadas para a política”, afirma Rita Salema.

Recomendadas

Mais de 300 artistas exigem 1% imediato do Orçamento do Estado para a Cultura

Mais de 300 artistas, concentrados em frente ao Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa, exigem um valor imediato de 1% do Orçamento do Estado (OE) para a Cultura, em 2020, numa iniciativa convocada pela Plataforma Cultura em Luta.

OE2020: Funcionários admitidos até 2005 podem perder férias se estiverem de baixa prolongada

Os funcionários públicos admitidos antes de 2006 e que estiverem de baixa por doença superior a 30 dias podem vir a perder dias de férias, segundo uma proposta do Governo ainda em negociação com os sindicatos.

“Pirralha!”. Greta Thunberg defende causa indígena e Jair Bolsonaro reage

Bolsonaro referia-se às declarações da jovem no Twitter, em que afirmou que “os povos indígenas estão literalmente a ser assassinados por tentar proteger a floresta da desflorestação ilegal. Repetidamente. É vergonhoso que o mundo permaneça calado sobre isso”.
Comentários