PremiumAuditoria sobre CTT pedida em 2017 ainda não chegou ao Parlamento

Anacom lançou consulta pública sobre serviço postal e já há projetos no Parlamento sobre os CTT. Mas deputados ainda não têm relatório da IGF.

Quase dois anos depois de o Parlamento decidir pedir ao Governo “uma avaliação das responsabilidades contratuais subjacentes à concessão em vigor entre o Estado e os Correios de Portugal (CTT)”, os resultados da auditoria requerida à Inspeção-Geral de Finanças (IGF) ao funcionamento do serviço postal universal ainda não deu entrada na Assembleia da República (AR).

Ao Jornal Económico, fonte oficial do Ministério das Finanças, que tutela a IGF, garantiu, sem apontar datas, que “o relatório da auditoria será brevemente entregue no Parlamento”.

A auditoria em causa foi aprovada pelo Parlamento em 15 dezembro de 2017 e publicada em “Diário da República” em 24 de janeiro de 2018, após aprovação em plenário de um projeto de resolução apresentado pelo Partido Socialista (PS).

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Aicep tem em pipeline novos investimentos de 1,01 mil milhões de euros

Novos projetos de investimento previstos para 2020 devem criar mais de 2100 empregos. O presidente da Aicep, Luís Castro Henriques mantém o optimismo na evolução da economia portuguesa

Sócios de Paulo Fernandes reforçam na Altri. Ana Menéres reduz

O valor de venda foi de 5,8 euros por ação pelo que o reforço custou à Caderno Azul 5,8 milhões de euros e à 1 Thing Investments 14,5 milhões.
Supermercados

Associação das empresas de retalho vai apresentar estudo sobre ‘e-commerce’

O estudo da Deloitte pretende identificar as barreiras existentes em Portugal ao desenvolvimento do comércio digital.
Comentários