De Bill Gates a Li Shufu. Os mais ricos da indústria automóvel

O ‘ranking’ da agência “Bloomberg” coloca Bill Gates no topo, porque a sua participação na concessionária AutoNation contribui para a fortuna, maioritariamente proveniente da Microsoft e da Cascade Investment.

Os empresários e gestores Bill Gates (AutoNation), Larry Ellison (Tesla), Elon Musk (Tesla), Cyrus Pallonji Mistry (Tata Motors), Susanne Klatten (BMW), Stefan Quandt (BMW) e Li Shufu (Geely Automobile e Zhejiang Geely) são os sete mais ricos da indústria automóvel mundial, segundo o ranking da agência financeira “Bloomberg”.

Apesar de não ser o nome que todos esperariam na liderança desta tabela, Bill Gates está no topo porque a sua participação na concessionária AutoNation (9% do património líquido total) também contribui para fortuna (105 mil milhões de dólares), maioritariamente proveniente da Microsoft e da Cascade Investment.

Em segundo lugar está Larry Ellison, cofundador da tecnológica Oracle, que comprou no início do ano uma posição equivalente a mil milhões de dólares na Tesla. A sua riqueza ascende a 58 mil milhões de dólares. Já Elon Musk, que é o CEO dessa mesma empresa de Palo Alto, tem uma fortuna avaliada em 22,9 mil milhões de dólares, sendo que a percentagem da posição que detém na Tesla corresponde a 36,9% dos seus cofres.

Recomendadas

Lufthansa vai cortar mil empregos administrativos e reduzir novas aeronaves a metade

Como parte do plano de reestruturação, a companhia aérea anunciou que os cortes nos postos de trabalho vão incluir também os cargos administrativos e de gestão.

Crise no mercado de retalho deve ser pior do que crise de 2009

Quando a recuperação económica chegar, a publicação estima que esta seja lenta, uma vez que a maioria dos mercados afetados pela crise de 2008/2009 demorou perto de um ano até que as vendas retomassem a níveis pré-crise.

Rogério Carapuça: Falta de capital constitui entrave à reindustrialização de Portugal

Para combater essa falta de capacidade financeira, o presidente da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações, Rogério Carapuça, apela à implementação de políticas que permitam captar mais investimento estrangeiro.
Comentários