Bolsa portuguesa acompanha Europa em alta. BCP e Galp valorizam mais de 2%

“As principais bolsas europeias abrem em alta pelo terceiro dia consecutivo esta semana, sustentadas pela revelação de que a atividade nos serviços da China se expandiu de forma surpreendente em maio”, comentou Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium BCP.

O principal índice bolsista português (PSI 20) soma 1,07% para 4.605,83 pontos, em linha com as principais praças europeias, esta quarta-feira.

“As principais bolsas europeias abrem em alta pelo terceiro dia consecutivo esta semana, sustentadas pela revelação de que a atividade nos serviços da China se expandiu de forma surpreendente em maio”, comentou Ramiro Loureiro, Mtrader do Millennium BCP.

Relativamente à China, o PMI Serviços (indicador da atividade terciária) passou de 44.4 para 55 no mês de maio, “quando se antecipava uma melhoria apenas para 47.3”. A evolução acima das expetativas, de acordo com Ramiro Loureiro, “revelou uma expansão surpreendente da atividade dos serviços, quando os analistas esperavam um alívio do ritmo de contração”.

As bolsas europeias beneficiam, desta forma, do otimismo dos investidores sobre uma recuperação económica, eventualmente, mais rápida do que o previsto. A reabertura das economias na Europa está a ser acompanhada por boas prestações nos mercados de ações.

Ainda assim, os investidores aguardam por novidades na Alemanha, onde a chanceler ainda não conseguiu fechar um acordo sobre um pacote suplementar de estímulos que pode chegar até aos 100 mil milhões de euros. As negociações foram adiadas para esta quarta-feira.

A chanceler alemã deveria ter reunido na terça-feira com membros do governo da coligação CDU/CSU (do qual faz parte Merkel) e SPD, promovendo um acordo entre os parceiros da coligação, mas isso não se verificou.

De acordo com o Der Spiegel, citado pela Bloomberg, em 28 de maio, estes 100 mil milhões de euros configuram um um segundo orçamento suplementar para cobrir a quebra de receitas fiscais e para acompanhar o programa conjuntural que está a ser delineado pelo governo alemão. O referido orçamento suplementar está a ser preparado pelo ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz (SPD).

Na bolsa portuguesa, 17 das 18 empresas cotadas valorizam e somente uma negoceia em terreno negativo. O PSI 20 é impulsionado pelos ganhos do BCP e da Galp, que valorizam acima dos 2%.

O BCP prolonga os ganhos verificados na sessão anterior (10%), e soma 2,53%, para 0,113 euros.

A Galp, por sua vez, beneficia do bom momento que o mercado petrolífero atravessa, e ganha 2,14, para 11,95 euros.

Com a perspetiva de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) vai prolongar os cortes na produção, o Brent, que é negociado em Londres e é referência Portugal, soma 1,59%, para 40,20 dólares. Já o WTI, em Nova Iorque, avança 2,23%, para 37,64 dólares.

Destaque ainda para os títulos da EDP (0,89%), da NOS (1,01%) e da Navigator (1,39%), que também ajudam à evolução do PSI 20.

Ler mais

Recomendadas

PremiumRisco de continuidade do negócio é o mais relevante para as empresas

Um estudo da MDS revela que a possibilidade de recuperação em ‘V’ é, do lado das empresas, uma miragem: um a três anos é o tempo mínimo esperado de regresso à atividade pré-pandemia.

Wall Street fecha semana com ganhos ligeiros. Nasdaq reflete dados da criação de emprego

O Nasdaq Composite registou a única queda da sessão: 0,87% para 11,010.98 pontos. Foi a maior vítima da sessão de uma conjugação de fatores: a criação de empregos nos EUA e a negociação do pacote de estímulos fiscais.

Aumento de capital da EDP não anima investidores. PSI-20 encerra no ‘vermelho’

O PSI-20 fecha a sessão de hoje a desvalorizar 0,25% para 4.362,62 pontos à boleia da EDP que desvaloriza 0,73% depois de ter completado o aumento de capital que vai financiar a compra da espanhola Viesgo.
Comentários