Bruxelas atrai 300 milhões de euros de investimento para impulsionar inovação no setor espacial

O fundo é um dos primeiros fundos de transferência de tecnologia apenas centrado nas tecnologias espaciais na Europa e o primeiro em Itália.

A Comissão e o Fundo Europeu de Investimento (FEI) anunciaram, esta quarta-feira, um investimento de 300 milhões de euros no setor espacial, dos quais 100 milhões de euros provêm do orçamento da União Europeia (UE), para apoiar inovação pioneira.

De acordo com a nota divulgada, a participação do FEI é apoiada pelo Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), o principal pilar do Plano de Investimento para a Europa. Este investimento destina-se a dois fundos dedicados à tecnologia espacial, Orbital Ventures e Primo Space, abrangidos pelo primeiro projeto-piloto de capital próprio apoiado pela UE no setor espacial, a iniciativa “InnovFin Space Equity Pilot”.

O comunicado de Bruxelas informa que o fundo Orbital Ventures, um fundo pan-europeu de arranque e de fase inicial, centra-se nas tecnologias espaciais, incluindo as áreas a jusante (comunicações, criptografia, armazenamento e processamento de dados, geolocalização, observação da Terra) e a montante (hardware espacial, materiais, eletrónica, robótica, foguetes, satélites). Já o fundo Primo Space, um veículo de investimento italiano especializado na transferência de tecnologia em fase inicial, foi o primeiro fundo selecionado pelo FEI no âmbito deste projeto-piloto. O FEI está agora a aumentar o seu apoio.

O fundo é um dos primeiros fundos de transferência de tecnologia apenas centrado nas tecnologias espaciais na Europa e o primeiro em Itália. Investe na prova de conceito, em projetos ou empresas em fase de arranque e em fase inicial, e promoverá a comercialização de inovações revolucionárias na indústria espacial na Europa.

Recomendadas

Pandemia levou a tombo de 14,8% na atividade económica regional entre março e novembro de 2020

Dados do INE, revelados esta sexta-feira, revelaram que no conjunto das regiões portuguesas, a atividade económica tombaram significativamente. Algarve Madeira e Área Metropolitana de Lisbao viram a atividade económica cair mais do que a média nacional. Maiores tombos verificaram-se em atividades de alojamento e atividades artísticas, desportivas e recreativas.

Barómetro ACEGE: Apoios à TAP e empresas afetadas pela pandemia preocupam empresários

Respostas dos empresários e gestores associados do barómetro de janeiro da ACEGE, numa parceria com o Jornal Económico, a Rádio Renascença e a Netsonda, revelam preocupação com efeitos da Covid-19. Mas também sinais de otimismo quanto à evolução das suas empresas e à manutenção dos postos de trabalho.

Exportações de bens da zona euro cresceram para 197 mil milhões de euros em novembro

A zona euro registou um excedente de 25,8 mil milhões de euros em novembro de 2020 no comércio de bens com o resto do mundo. Exportações de bens começam a dar sinais de “um retorno aos níveis pré-Covid”.
Comentários