Carros elétricos precisam de mais cobre que os convencionais

O crescimento das vendas do carro elétrico está a provocar uma verdadeira corrida ao cobre. Este metal sempre foi utilizado pela indústria automóvel, mas o peso do seu uso tem crescido com com o automóvel elétrico.

O crescimento das vendas do carro elétrico está a provocar uma verdadeira corrida ao cobre. Este metal sempre foi utilizado pela indústria automóvel, mas o peso do seu uso tem crescido com com o automóvel elétrico.

Um automóvel convencional, de combustão interna, conta com 8 a 22 quilos de cobre no seu interior. Já um carro 100% elétrico conta com 83 quilos de cobre no total. No caso de um autocarro elétrico, são necessários 369 quilos deste metal.

Os maiores produtores de cobre a nível mundial são o Chile, onde a produção atingiu as 5.800 toneladas métricas em 2018. Segue-se o Peru (com 2.400 toneladas métricas) e a China (com 1.600 toneladas métricas).

As maiores empresas mundiais produtoras de cobre são a Codelco do Chile, a Freeport-McMoran dos Estados Unidos, a BHP Billinton da Austrália e a Glencore da Suíça.

Com a subida das vendas dos carros elétricos, a procura por matéria-prima disparou. O lítio, usado nas baterias de carro elétrico, subiu 2.896%, seguido do cobalto com uma subida de 1.928%, e do grafite com um aumento de 655%.

Com o aumento da procura, os preços do cobre nos mercado também sofreram uma forte subida. No ano 2000, este metal negociava abaixo de um dólar, mas ao longo da década o seu valor foi subindo até atingir a sua cotação máximo em quase 20 anos em 2011, acima dos quatro dólares.

Ler mais
Recomendadas

PremiumRangel Pharma vai investir mais 12 milhões de euros

Após dez anos de atividade na logística farmacêutica, Nuno Rangel, CEO do Grupo Rangel, revela um plano de investimentos a cinco anos para quase duplicar a área de armazenagem e criar mais 130 empregos em Portugal.

PremiumCEO da Unicre: “Depois do Porto, estamos em conversas para pagamento ‘contactless’ nos transportes em Lisboa”

Pioneira nos cartões de crédito em Portugal, a Unicre lança um ‘rebranding’ para salientar a base digital, atrair clientes jovens e abrir portas a mercados internacionais, revela o presidente da empresa, João Baptista Leite.

PremiumTesla tem bateria de sobra para dar mais energia às ações

Em 2020, os títulos da Tesla já valorizaram mais 36%. Ao Jornal Económico, o banco de investimento Jefferies explica que a elétrica de Elon Musk tem muito mais para dar para além dos carros.
Comentários