Catarina Martins com relógio de luxo e outras ‘fake news’ sobre Portugal espalham-se em sites criados no Canadá

O “Diário de Notícias” descobriu que o responsável pelos sites de ‘fake news’ é um industrial de têxteis do Norte apoiante de Donald Trump e Jair Bolsonaro.

Vários websites com notícias falsas (“fake news”) sobre a política portuguesa estão a espalhar e a tornar virais conteúdos inventados no Canadá – e pelo mundo, através das partilhas nas redes sociais.

O “Diário de Notícias” (DN), na sua edição semanal publicada este domingo, revela que descobriu a identidade do responsável por divulgar estas imagens ou textos falsos, como por exemplo uma ‘fotografia’ da líder do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, com um suposto “relógio de luxo suíço com o valor de 20,9 milhões de euros” – ‘informação’ que o partido já garantiu ser falsa.

Segundo o DN, o autor destas fake news é um industrial de têxteis do Norte apoiante de Donald Trump e Jair Bolsonaro:  João Pedro Rosas Fernandes. Todos os sites portugueses estão sediados no Canadá, partilham o mesmo IP e têm por trás a empresa de Santo Tirso Forsaken.

João Fernandes será dono de websites como “Direita Política”, “A Voz da Razão”, “Não Queremos Um Governo de Esquerda em Portugal”, “Vídeo Divertido” e “Aceleras”. Ao semanário, o ainda sócio de duas indústrias têxteis admitiu estar “descontente com a falta de contraditório que existia na comunicação social”.

“É comum sempre que divulgamos alguma notícia sobre alguma figura pública que está envolvida em corrupção aparecerem algumas pessoas nas redes sociais a tentar desmentir os factos, dizendo que são fake news. Fazem o mesmo em todos os jornais online”, disse.

Recomendadas

BP quer ter 500 postos de abastecimento em Portugal em 2020

A BP Portugal quer ter 500 postos de abastecimento até março de 2020, mais 50 do que a rede da petrolífera britânica conta atualmente, e mantém interesse na aquisição da Prio, disse à agência Lusa o presidente executivo.

Governo avança com lei que permite aos bancos contabilizar como custo fiscal as novas imparidades

“A presente alteração visa sanar a divergência entre os sistemas contabilísticos e fiscais no que respeita ao tratamento de perdas por imparidades associadas a operações de crédito. Prevêem-se ainda regras disciplinadoras para as perdas por imparidade registadas nos períodos de tributação com início anterior a 1 de janeiro de 2019, e ainda não aceites fiscalmente”, diz o último comunicado do Conselho de Ministros

BPI vence Prémio Cinco Estrelas na categoria de Banca Digital

O BPI é líder na penetração do homebanking, com quase metade dos seus clientes particulares a serem utilizadores deste canal. O mesmo acontece no caso dos clientes empresariais, em que 84,5% usam os canais digitais do Banco. Isto segundo o estudo BASEF Banca relativo ao período de fevereiro a agosto de 2018.
Comentários