Catarina Martins questiona acordo entre RTP e FPF para “criar um canal concorrente”

“É uma medida gravíssima que põe em causa o equilíbrio da comunicação social. A RTP deve defender o serviço público e não ajudar a criar canais concorrentes”, acusou a líder do BE, no debate quinzenal, pedindo explicações ao primeiro-ministro sobre o memorando assinado pela RTP e FPF.

No debate quinzenal com o primeiro-ministro, esta tarde, na Assembleia da República, a líder do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, criticou o memorando recentemente assinado pela Rádio e Televisão de Portugal (RTP) e Federação Portuguesa de Futebol (FPF) visando “criar um canal concorrente”.

“É uma medida gravíssima que põe em causa o equilíbrio da comunicação social. A RTP deve defender o serviço público e não ajudar a criar canais concorrentes”, sublinhou Martins, questionando António Costa sobre se o Governo está a acompanhar a matéria em causa.

A líder bloquista referiu-se especificamente à cedência de conteúdos, meios técnicos e trabalhadores da RTP prevista no acordo firmado com a FPF, no âmbito da criação de um canal de televisão da FPF que deverá iniciar as suas transmissões em maio de 2019.

Na resposta, Costa assegurou que “todos nós partilhamos da perplexidade sobre o memorando e que não foi do conhecimento prévio do Governo”. Nesse sentido, informou que o Governo já pediu esclarecimentos ao Conselho de Administração da RTP sobre o acordo com a FPF.

 

Relacionadas

Fernando Negrão: “A dívida pública aumentou nesta legislatura em 20 mil milhões de euros”

No debate quinzenal com o primeiro-ministro, esta tarde, na Assembleia da República, o líder da bancada parlamentar do PSD questionou António Costa sobre o aumento da dívida pública e alertou que “a carga fiscal chegou ao seu limite”.
Recomendadas

Presidente do Supremo Tribunal pode receber mais 600 euros mensais do que o primeiro-ministro

Os salários dos magistrados têm um limite salarial máximo que os impede de ganhar mais do que o primeiro-ministro, mas, caso a revisão do estatuto proposta pelo PS venha a ser aprovada, termina este impedimento salarial.

Parlamento vota hoje projetos de resolução sobre Programa de Estabilidade

No debate do Programa de Estabilidade, na quarta-feira, os partidos de esquerda criticaram duramente o plano orçamental para o período 2019-2023, mas é esperado que ajudem a chumbar a rejeição do PSD e CDS aos programas.

Joana e Mariana Mortágua: “Leva o Bolsonaro para ao pé do Salazar”

“Ó meu rico Santo António, ó meu santo popular, leva lá o Bolsonaro, leva lá o Bolsonaro para ao pé do Salazar”. É assim a letra da música, que envolve o presidente do Brasil, cantada pelas deputadas do Bloco de Esquerda durante uma marcha do 25 de abril. A música foi cantada na presença de Catarina Martins, de Marisa Matias e de um deputado francês. O ditador António de Oliveira Salazar morreu em 1970.
Comentários