CDS quer ouvir Pedro Nuno Santos no Parlamento sobre prejuízos da TAP

Centristas põem em causa as decisões de Pedro Marques, anterior responsável pela tutela da transportadora aérea e atual cabeça de lista do PS às eleições europeias.

Paulo Whitaker/Reuters

O CDS-PP vai requerer a audição do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, na Comissão de Economia e Obras Públicas da Assembleia da República para explicar por que motivo o seu antecessor (e atual cabeça de lista do PS às eleições europeias) permitiu que a TAP “gerasse dívidas que vão ser pagas por todos os portugueses”.

“A TAP gerou durante o ano de 2018 prejuízos entre 150 e 180 milhões de euros. Ou seja, o custo da reversão deste negócio, que muitas vezes foi valorizado em cerca de 30 milhões de euros de um empréstimo obrigacionista de 120 milhões, é afinal muito maior”, lê-se no pedido de audição apresentado pelo deputado Hélder Amaral.

Hélder Amaral responsabiliza o atual Executivo, “constituído com muitos dos rostos que nos conduziram à necessidade de se tomarem” medidas como a privatização da TAP, por decidir alterar o contrato de venda da transportadora aérea a privados, mantendo uma posição de 50% e, nas palavras do ex-ministro, assumindo “uma posição efetiva na TAP”.

“Se o Governo, como afirmou o anterior ministro das Infraestruturas, foi responsável pelas decisões tomadas ao longo deste tempo na TAP e por que motivo permitiu que esta empresa gerasse dívidas que vão ser pagas por todos os portugueses? As folgas orçamentais geradas pelas cativações, e pelo aumento dos impostos, serão aplicadas na gestão da TAP que sendo privada toma decisões com os efetivos representantes do Estado?”, questiona ainda Hélder Amaral.

Relacionadas

Tragédia nas contas da TAP: amargo de boca para António Costa e desfeita para a política de Pedro Marques

As contas da TAP serão aprovadas esta semana e constituem um problema para o Governo e para o atual presidente executivo, Antonoaldo Neves.

David Neelman compra participação dos chineses da HNA na TAP

Os chineses da HNA venderam a participação na TAP. Os acionistas privados da Atlantic Gateway compraram a participação indireta de 9% aos chineses por cerca de 49 milhões de euros.

Miguel Frasquilho: 2018 “não foi um bom ano” para a TAP

Miguel Frasquilho fala esta sexta-feira sobre “O Turismo como factor de desenvolvimento económico: o contributo da TAP”, num almoço organizado pelo International Club of Portugal, em Lisboa. Veja aqui a intervenção do presidente do Conselho de Administração da TAP.
Recomendadas

Presidente do Supremo Tribunal pode receber mais 600 euros mensais do que o primeiro-ministro

Os salários dos magistrados têm um limite salarial máximo que os impede de ganhar mais do que o primeiro-ministro, mas, caso a revisão do estatuto proposta pelo PS venha a ser aprovada, termina este impedimento salarial.

Parlamento vota hoje projetos de resolução sobre Programa de Estabilidade

No debate do Programa de Estabilidade, na quarta-feira, os partidos de esquerda criticaram duramente o plano orçamental para o período 2019-2023, mas é esperado que ajudem a chumbar a rejeição do PSD e CDS aos programas.

Joana e Mariana Mortágua: “Leva o Bolsonaro para ao pé do Salazar”

“Ó meu rico Santo António, ó meu santo popular, leva lá o Bolsonaro, leva lá o Bolsonaro para ao pé do Salazar”. É assim a letra da música, que envolve o presidente do Brasil, cantada pelas deputadas do Bloco de Esquerda durante uma marcha do 25 de abril. A música foi cantada na presença de Catarina Martins, de Marisa Matias e de um deputado francês. O ditador António de Oliveira Salazar morreu em 1970.
Comentários