Chega nega ter convidado Pardal Henriques para integrar listas do partido nas legislativas

Ao Jornal Económico, o presidente do Chega, André Ventura, nega ter feito qualquer convite ao advogado que representa o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), mas indica que o partido está “solidário com os motoristas e é contra “a humilhação imposta pelo Governo”.

O recém-criado Chega nega ter convidado o advogado que representa o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Pedro Pardal Henriques, para integrar as listas do partido nas eleições de outubro. Ao Jornal Económico, o presidente do Chega, André Ventura, diz, no entanto, que o partido está “solidário com os motoristas e é contra “a humilhação imposta pelo Governo”.

“É falso o convite ao doutor Pardal Henriques para ser deputado pelas listas do Chega”, afirmou ao Jornal Económico, André Ventura. “Somos contra a humilhação imposta aos motoristas pelo Governo, mas não convidei, nem eu, nem ninguém da direção, o doutor Pardal Henriques para integrar as listas do Chega”, explica o líder do partido.

À revista “Visão”, Pedro Pardal Henriques tinha dito que foi convidado pelo Chega para ser candidato a deputado nas eleições legislativas de outubro. O porta-voz dos motoristas disse, no entanto, que está em conversações com o Partido Democrático Republicano (PDR) de António Marinho e Pinto, que também o terá convidado para integrar as listas.

“Ainda não aceitei nada (…), mas o dr. Marinho e Pinto é uma pessoa que admiro desde os tempos em que foi bastonário [da Ordem dos Advogados]. Defende coisas que eu também defendo, e o PDR não é um partido de extremos, nem de extrema-esquerda nem de extrema-direita; é muito ao centro”, afirmou Pedro Pardal Henriques, à revista “Visão”.

Sobre a greve dos motoristas, que cumpre esta quarta-feira o terceiro dia, o Chega diz ainda estar solidário com as suas reivindicações, mas não concorda com a forma como a paralisação está a decorrer.

“Estamos solidários com os motoristas, mas não podemos compactuar com a greve nos termos em que está a ser feita, no pico do verão quando muitos cidadãos se têm de deslocar por todo o país, para as férias que esperam ter ao longo de um ano de trabalho”, indica André Ventura.

Recomendadas

PS insiste que negociações do Orçamento do Estado para 2022 devem continuar na especialidade

José Luís Carneiro reforçou a intenção do PS em “apreciar as propostas” dos parceiros, mas com o propósito de “encontrar os pontos de equilíbrio e de bom senso”, na última das audiências que o Presidente da República manteve com os partidos nesta sexta-feira.

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.
Comentários