Cientistas de dados disputam competição da Galp em Sines

O desafio junta este fim-de-semana data sicentists de oito universidades portuguesas e estrangeiras que vão procurar otimizar a performance de uma unidade da refinaria.

Equipas de cientistas de dados de universidades de Portugal, Espanha e Inglaterra reúnem-se este fim-de-semana, 22, 23 e 24 de novembro, em Sines numa competição desenhada para otimizar processos industriais. No concreto, a competição, intitulada Datathon,  visa encontrar resposta para os desafios associados aos ciclos de trabalho de uma unidade processual da refinaria.

Os participantes representam oito instituições de ensino superior: Universidade de Valência, Universidade de Castilla-La Mancha, Liverpool John Moores University, Instituto Superior Técnico, Universidade de Coimbra, Universidade de Aveiro, Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa.

As propostas das equipas são avaliadas por um júri, que, no final, atribuirá um prémio de 50 mil euros à equipa vencedora.

A competição integra-se na estratégia global da Galp para o desenvolvimento de soluções inovadoras que melhorem “a eficiência das suas operações e processos e que contribuam para a redução de custos”, explica a empresa em comunicado.

A iniciativa, explica ainda o documento, “traduz também o compromisso da empresa na sua abertura ao ecossistema global de inovação e um novo passo firme no reconhecimento do papel fundamental que o big data tem na procura de soluções para os desafios que a indústria energética enfrenta”.

“A Galp está empenhada em seguir a senda da transformação. É um processo irreversível, quer pelo caminho que a própria Galp estabeleceu para o seu futuro, quer pelas mudanças que atravessam toda a indústria. Os dados são o ‘new fuel’ e o ‘machine learning’, a inteligência artificial e outras técnicas analíticas permitem dar um salto qualitativo e mensurável no conhecimento na tomada de decisões inteligentes, que transformam o negócio. A indústria 4.0 é um claro exemplo de que a utilização destas técnicas facilita a convergência OT /IT (Operational technology/ Information technology)”, explica o Chief information and Digital Officer da Galp, Nuno Pedras.

A abertura a parcerias com a academia em áreas de vanguarda do conhecimento podem contribuir para acelerar este processo de transformação, adianta o responsável da petrolífera.

Ler mais
Recomendadas

Alunos de Finanças do ISEG entre os melhores da Europa

A equipa do Quelhas alcançou o Top 4 do CFA Challenge, concurso mundial para estudantes de finanças. A prova foi disputada por videoconferência devido ao Covid-19.

De viseiras 3D a ventilador simples. Politécnico de Leiria responde com inovação à Covid-19

Em parceria com a empresa Luz Costa & Rodrigues, o Politécnico está a desenvolver um projeto inovador de produção industrial de viseiras por injeção.

Universidade do Algarve combate novo coronavírus através da inovação

Os laboratórios do Centro de Investigação de Biomedicina da Universidade estão, neste momento, a desenvolver um líquido para conservação de zaragatoas. Serão visitados esta manhã por uma comitiva liderada pelo ministro da Ciência, Manuel Heitor.
Comentários