Concorrência recebeu um comentário sobre o processo Cofina/Media Capital

“O prazo termina na segunda-feira, 21 de outubro. Até ao momento, apenas uma entidade apresentou comentários”, indicou, em resposta à Lusa, fonte oficial da AdC.

Vincent West / Reuters;

O prazo dado pela Autoridade da Concorrência (AdC) para os interessados na compra da TVI pela Cofina apresentarem comentários termina na segunda-feira e, até ao momento, pronunciou-se uma entidade, avançou à Lusa fonte oficial do regulador.

“O prazo termina na segunda-feira, 21 de outubro. Até ao momento, apenas uma entidade apresentou comentários”, indicou, em resposta à Lusa, fonte oficial da AdC.

A autoridade liderada por Margarida Matos Rosa tinha dado 10 dias úteis para os interessados no processo se pronunciarem.

O registo da Oferta Pública de Aquisição (OPA) sobre a Media Capital foi pedido pela Cofina na passada sexta-feira, o último dia do prazo para o fazer, conforme disse à Lusa, esta segunda-feira, fonte oficial da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em 21 de setembro, a dona do Correio da Manhã anunciou que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para comprar a totalidade das ações que detém na Media Capital, valorizando a empresa (‘enterprise value’) em 255 milhões de euros. A operação de compra inclui também a dívida da Media Capital.

“O objeto da oferta é constituído pela totalidade das 84.513.180 ações ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de 1,06 euros, representativas do capital social e dos direitos de voto da sociedade visada”, indicou a Cofina no anúncio preliminar da oferta.

A Cofina, empresa liderada por Paulo Fernandes, espera que a compra da Media Capital resulte em sinergias de 46 milhões de euros.

Além disso, a dona do Correio da Manhã estima que a compra esteja concluída no primeiro semestre de 2020.

A transação está sujeita a certas condições, em particular a aprovação dos reguladores e a realização de um aumento de capital da Cofina em 85 milhões de euros para o financiamento parcial da compra da participação da Prisa na Media Capital, que detém a TVI.

A Cofina espera financiar a operação de compra com 220 milhões de euros de dívida (‘debt financing’) e 85 milhões de euros do aumento capital.

Segundo a empresa, 50 milhões de euros de fundos captados serão utilizados para pagar os custos da transação e refinanciar a dívida líquida da Cofina.

Metade do aumento de capital será garantido pelos acionistas principais.

O grupo Cofina detém, além do Correio da Manhã e do Record, a CM TV, o Jornal de Negócios, a revista Sábado, entre outros títulos.

Por sua vez, a Media Capital conta com seis canais de televisão e a plataforma digital TVI Player. Além da TVI, canal generalista em sinal aberto que celebra 26 anos, conta com a TVI24, TVI Reality, TVI Ficção, TVI Internacional e TVI África.

A Media Capital tem também rádios, onde se inclui a Comercial.

 

 

Ler mais
Relacionadas

Conselho de Administração da Media Capital considera contrapartida da Cofina “adequada”

Apesar dos elogios à oferta e à estratégia traçada pela Cofina, o conselho de administração do Grupo Media Capital realça que seria adequado “um eventual aumento ou revisão em alta da contrapartida”.
Recomendadas

“Sem Montijo, Portela não cresce”, garante CEO da easyJet

De acordo com José Lopes, esta interdependência tem a ver com “o espaço aéreo da capital, é um projeto integrado de crescimento”.

Negociações salariais na CP podem travar projetos do Governo para a ferrovia

Existe uma plataforma de 14 sindicatos do setor que ontem se encontrou com o ministro Pedro Nuno Santos, a reclamar atualizações salariais na transportadora ferroviária nacional. Foi agendada nova reunião, com a administração da CP, para 28 de novembro, mas se o resultado não for satisfatório, está aberta a porta à greve.

TAP lança três novas rotas para Maceió, Montreal e Boston

As três novas ligações vão arrancar no próximo ano e serão assegurados pelo novo modelo de avião mais eficiente, o Airbus A321LR.
Comentários