Consultores vão custar 40 milhões de dólares à Sonangol

O novo plano de reestruturação da maior empresa angolana vai ser coordenado, ao nível dos consultores, pela Deloitte, que deverá trazer para Angola, e colocar ao serviço da Sonangol uma equipa plurinacional e multidisciplinar, com especialistas da Noruega e Brasil,

Cristina Bernardo

O Programa de Renegeração da Sonangol, anunciado ontem em Luanda pelo presidente do conselho de administração (PCA) da companhia, Carlos Saturnino, vai custar cerca de 40 milhões USD e prolongar-se por cerca de 30 meses, soube o Mercado.

O novo plano de reestruturação da maior empresa angolana vai ser coordenado, ao nível dos consultores, pela Deloitte, que deverá trazer para Angola, e colocar ao serviço da Sonangol uma equipa plurinacional e multidisciplinar, com especialistas da Noruega e Brasil, na vertente de negócio de Exploração & Produção, e de Franca, Portugal e Holanda, na vertente de negócio de Refinação e Distribuição de derivados.

O programa vai ser gerido pelo sócio de Energia e Recurso naturais da Deloitte Angola, Frederico Martins Correia, em conjunto com o sócio de Energia e Recurso naturais da Deloitte França, Olivier Perrin, apurou o “Mercado”.

A reestruturação anunciada pelo conselho de administração anterior, liderado por Isabel dos Santos, recorde-se, iria custar aos cofres da empresa cerca de 135 milhões USD em 18 meses.

Em Agosto passado, recorde-se, o Governo anunciou um processo de reestruturação do sector petrolífero, que passou pela criação da Agência Nacional de Petróleos e Gás (ANPG), pondo termo ao monopólio da Sonangol, que deverá ficar focada apenas no core business. Com a criação da agência, irá ocorrer a transferência de activos da Sonangol até Dezembro deste ano, indicou o Governo, na altura.

Leia mais na edição 181 que se encontra nas bancas

 

Ler mais
Relacionadas

Sonangol de saída da Unitel até final de 2019

“A Sonangol pretende alienar a participação na Unitel”, disse o PCA, em resposta a uma pergunta do “Mercado”.

Sonangol vai reduzir participação na banca comercial e em investimentos no exterior

“Como não temos uma estratégia para a banca comercial, como temos a certeza de que esses investimentos são úteis e bons para o grupo Sonangol? Daí que decidimos fazer uma análise, banco por banco, que dividendos trazem para o grupo”, afirmou o presidente do conselho de administração da Sonangol.
Recomendadas

“Dados pessoais podem ser um produto tóxico para quem incumpra com o RGPD”

Até 2020 vai entrar em vigor o Regulamento e-Privacy e o Código das Comunicações Eletrónicas, o que irá obrigar as empresas a novos ajustes e alterações.

Sérvulo estabelece parceria com sociedade de advogados em Cabo Verde

A MJN Advogados, de Maria João de Novais, é o novo escritório parceiro da Sérvulo & Associados.

Conselho Regional vai deixar de ser “suporte do bastonário”

A advogada Ana Sofia de Sá Pereira, que tem tudo preparado para avançar com uma candidatura ao Conselho Regional do Porto, apoia uma eventual candidatura de António Jaime Martins contra Guilherme Figueiredo.
Comentários