Consumo de gás natural sobe 57% em abril

Durante o mês de abril, o consumo de energia registou um aumento de 6,5%. Entre janeiro e abril, subiu 0,9%.

O consumo de gás natural subiu 57% em abril face a período homólogo. O disparo no consumo deve-se à utilização do gás natural pelas centrais elétricas para produzir eletricidade.

Os dados foram divulgados esta terça-feira, 4 de maio, pela REN. Já nos lares, o consumo de gás natural registou uma subida homólogo de 13,8%.

Durante o mês de abril, o consumo de energia registou um aumento de 6,5%. Entre janeiro e abril, subiu 0,9%.

Analisando o período entre janeiro e abril, o consumo de gás desceu 1,7% face a período homólogo, “resultado de uma contração de 15,6% no segmento de produção de energia elétrica e de um crescimento de 4,2% no segmento convencional, que abrange os restantes consumidores”, segundo a REN.

A REN aponta que em abril as “condições foram desfavoráveis para as energias renováveis”: o “índice de produtibilidade hidroelétrica a registar 0,78 (média histórica igual a 1) e o de eolicidade 0,60 (média histórica igual a 1), tratando-se, neste último caso, do mais baixo registo para o mês de abril desde 2001”.

A produção renovável abasteceu 54% do consumo, com a não renovável a abastecer 41%, com a importação a assegurar os restantes 5%.

Entre janeiro e abril, o “índice de produtibilidade hidroelétrica situou-se em 1,18 (média histórica igual a 1) e o de produtibilidade eólica em 0,93 (média histórica igual a 1)”.

Nos primeiros quatro meses do ano, a produção renovável abasteceu 74% do consumo: hidroelétrica com 39%, eólica com 27%, biomassa com 6% e fotovoltaica com 2%. A produção não renovável abasteceu 23% do consumo a partir de gás natural e 2% a partir de carvão.

Ler mais
Recomendadas

Porto de Lisboa com protocolo de segurança para receber cruzeiros

No âmbito do processo de levantamento gradual das restrições impostas para travar a covid-19, “a partir das 00:00 horas desta segunda-feira e até às 23:59 horas de 30 de maio, é permitido o embarque, desembarque e licenças para terra de passageiros e tripulações dos navios de cruzeiro em portos localizados em território nacional continental”, lembra a Administração do Porto de Lisboa (APL), num comunicado hoje emitido.

“Senti como uma agressão. Um modo de agir preconceituoso e racista”. Deputada Romualda Fernandes reage a episódio com a Lusa

Citada hoje pelo Público, a deputada socialista refere que “infelizmente” não lê o episódio “como um lapso, ou como um erro”, porque no seu entender “reflete um pensamento, um modo de agir profundamente preconceituoso e racista” que sentiu “como uma agressão”.

Turismo em Portugal deverá crescer 20% a 30% em 2021, estima Governo

“Se tudo continuar a correr bem ao nível do plano de vacinação, do controlo das novas estirpes e do certificado verde digital, temos boas perspetivas para ficarmos neste ano 20% a 30% acima do ano passado”, realçou a governante em entrevista.
Comentários