COP 25: Madrid vai ser o centro do mundo durante duas semanas. O que vai ser discutido?

Madrid acolhe durante duas semanas, entre 2 e 13 de dezembro, a Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas. O que vai ser discutido na capital espanhola por centenas de países?

O Parlamento Europeu declarou emergência climática global na semana passada, com o objetivo de aumentar os esforços para combater as alterações climáticas que têm deixado marcas no nosso planeta. Para discutir o que se pode fazer depois deste anúncio, Madrid recebe durante as próximas duas semanas a Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas (COP25).

O que é a COP25?

A COP25, ou Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, é a conferência anual da ONU que pretende discutir a urgência de uma resposta à emergência climática que tem vindo a acelerar. Segundo a Convenção da ONU de 1992, todos os países mundiais estão sujeitos a encontrar formas de reduzir as emissões de gases de efeito estufa, de maneira equitativa.

Onde acontece a Cimeira?

Inicialmente, o Chile foi escolhido para assumir a Cimeira Climática, mas com os tumultos e uma crise política a eclodir no Chile, o governo espanhol ofereceu Madrid para a Cimeira da ONU.

Quem vai estar nesta conferência mundial?

Até agora, sabe-se que Pedro Sánchez, António Guterres e Greta Thunberg vão marcar presença. Também António Costa, primeiro-ministro português, vai marcar presença em Madrid.

De Portugal, vai estar presente a delegação representativa de todos os grupos parlamentares (PS, PSD, BE, PCP-PEV, CDS-PP e PAN), além do Livre, que também pertence à Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, apesar dos oito deputados apenas marcarem presença na qualidade de observadores.

O encontro vai durar até 13 de dezembro, e as discussões vão ser lideradas por diversos ministros do meio ambiente. Aponta-se que deverão ainda marcar presença vários secretários do Ambiente e também grandes economias mundiais. Apesar de não se saber nomes, vão estar presentes novas empresas tecnológicas, cientistas e atores financeiros.

Os grandes emissores de gases com efeito de estufa e os países que lideram os programas mais ambiciosos de medidas para combater as alterações climáticas, além daqueles que mais têm sofrido com as consequências do aumento da temperatura do planeta.

O que difere esta Cimeira das restantes?

Este é o único fórum onde todos os países são tratados de forma igual, sendo que as economias mais pobres têm o mesmo peso que as grandes economias, como os EUA. Todos os acordos só podem ser atingidos quando existe um consenso entre as 196 nações que integram a discussão.

O que pode ser decidido este ano?

O foco da discussão durante as duas semanas será o artigo seis do Acordo de Paris, que permite a utilização de um mercado global de carbono para ajudar os países a reduzir as emissões e financiar medidas que reduzam as emissões nos países em desenvolvimento.

Este projeto dos mercados de carbono foi criado para o Protocolo de Quioto, assinado em 1997, em que o objetivo consistia no financiamento dos países em desenvolvimento, pelos países desenvolvidos, embora a ideia tenha sido colocada de lado em 2008. A ideia consiste nas grandes economias comprarem créditos de carbono aos países em desenvolvimento, para que os primeiros consigam ganhar tempo para o combate e para os países mais pobres receberem dinheiro para os encaminhar para um futuro ‘limpo’.

Vai ser ainda discutido os apoios ao Fundo Verde do Clima, os mecanismos de dados e compensações pelos fenómenos climáticos extremos e o apoio aos países menos desenvolvidos para que aconteça uma transição para o novo modelo energético.

Esta é a última oportunidade para resolver as questões que se prendem com o Acordo de Paris, do qual os EUA querem sair, que entra em vigor no próximo ano.

Ler mais
Relacionadas

Cimeira da ONU sobre o clima começa hoje em Madrid com 50 líderes mundiais

A cimeira das Nações Unidas sobre o clima (COP25) começa hoje em Madrid, com a presença de 50 líderes mundiais, incluindo o primeiro-ministro português, António Costa.

COP25: António Guterres apela ao aumento da vontade política de líderes mundiais

O secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, apelou este domingo em Madrid ao aumento da “vontade política” dos líderes mundiais para fazerem o que a comunidade científica lhes pede na luta contra as alterações climáticas.

Matos Fernandes agradece a Greta por sensibilizar gerações para “o maior desafio dos nossos tempos”

O governante enviou uma carta à ativista a agradecer o trabalho na luta contra as alterações climáticas. “Estamos gratos pelo teu ativismo”, disse o ministro.

António Costa dois dias em Espanha para receber prémio e participar na Cimeira

O primeiro-ministro vai estar entre domingo e segunda-feira em Espanha, primeiro em Bilbau, onde receberá da Fundação Ramón Rubial um prémio pela “Defesa dos valores socialistas”, depois em Madrid para participar na Cimeira Mundial do Clima (COP25).
Recomendadas

Banco Europeu de Investimento co-financia com 45 milhões de euros três parques eólicos da EDP Renováveis

O financiamento do BEI vai permitir à empresa liderada por João Manso Neto contribuir na prossecução do Plano Nacional de Ação para as Energias Renováveis por parte do Governo.

Carris vai ter seis autocarros movidos com óleos alimentares usados

Esta iniciativa está inserida no projeto ‘Movido a Biodiesel’, uma iniciativa conjunta da Carris e da Prio para promoção da mobilidade sustentável nas cidades.

Representantes portugueses da Comissão Europeia: “Pacto verde é o verdadeiro plano de desenvolvimento económico da UE”

Para os representantes da Comissão Europeia em Portugal, o Pacto Verde Europeu abre portas para grandes oportunidades de investimento em Portugal nas áreas das energias renováveis offshore e melhor gestão florestal.
Comentários