Covid-19: JSD pede ao Governo adiamento dos exames nacionais para julho

A estrutura autónoma do PSD, liderada por Margarida Balseiro Lopes, nota que há alunos que não sabem se voltarão a ter aulas presenciais, enquanto outros já estão a ter aulas à distância. “Estamos, por isso, perante uma circunstância de desigualdade que pode ser atenuada com o adiamento dos exames nacionais”, defende a JSD.

A Juventude Social Democrata (JSD) apelou esta segunda-feira ao adiamento dos exames nacionais para julho para salvaguardar que nenhum aluno saiu prejudicado devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19). A estrutura autónoma do PSD nota que há alunos que não sabem se voltarão a ter aulas presenciais, enquanto outros estão a ter aulas presenciais, e, por isso, considera urgente atenuar as desigualdades nesta fase de ensino.

“Esta será a medida mais justa e que permitirá aos jovens estudantes e às suas famílias o conforto e a certeza de que terão o tempo necessário para voltarem a ter aulas presenciais e, deste modo, recuperar o tempo perdido que lhes permita estarem preparados para encarar os exames nacionais no Ensino Secundário”, defende a JSD, em comunicado. A JSD considera ainda que o Governo deve proceder “ao ajustamento temporal necessário no Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior”.

A ideia é “salvaguardar que nenhum estudante seja prejudicado numa fase tão importante da sua vida”. Os jovens social-democratas lembram que o encerramento dos estabelecimentos de ensino foi uma das primeiras medidas adotadas no plano de contingência face à epidemia da Covid-19, “por serem considerados locais de elevado risco de contágio”. Desde então, há alunos que têm aulas à distância e outros não.

“Estamos, por isso, perante uma circunstância de desigualdade que pode ser atenuada com o adiamento dos exames nacionais”, defende a estrutura partidária liderada por Margarida Balseiro Lopes.

A JSD entende que, neste contexto, deve ser feita “uma profunda reflexão” sobre as datas anteriormente fixadas. “Se a escola se deve impor como verdadeiro elevador social, tudo deverá ser feito para que exista equidade entre todos os alunos. Este tempo leva-nos, no entanto, à conclusão de que, em Portugal, não é possível garantir essa mesma equidade entre escolas e estudantes”, salienta.

A JSD defende, por isso, que os exames nacionais, que deveriam arrancar em 15 de junho, sejam adiados para o mês de julho, permitindo que os alunos ter atividade letiva no terceiro período.

Ler mais
Recomendadas

Travão de apoio ao Novo Banco é um “número de circo, mas não viola a Constituição”, diz fiscalista

A anulação da transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco, aprovada no Orçamento do Estado, não é inconstitucional, mas “gerará responsabilidade civil”, disse o antigo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais Rogério Fernandes Ferreira, à Lusa.

Covid-19: Açores com 34 novos casos elevando para 359 número de ativos nas últimas 24 horas

Os Açores registaram nas últimas 24 horas 34 novos casos positivos de covid-19, elevando para 359 o total de ativos na região, segundo o boletim diário da Autoridade de Saúde Regional.

Trabalhadores dos CTT cumprem na segunda-feira primeiro de três dias de greve

Os trabalhadores dos CTT vão estar em greve na segunda, quarta e quinta-feira, exigindo aumentos salariais e reforço de colaboradores para o serviço postal, reivindicações já contestadas pelos Correios.
Comentários