Covid-19: países vizinhos de Itália decidem manter fronteiras abertas

Uma reunião que juntou vários países considerou que o encerramento das fronteiras “seria um erro e [uma medida] desproporcional”.

Itália

Os países vizinhos de Itália decidiram manter as fronteiras abertas, apesar da multiplicação repentina de casos de infetados com coronavírus Covid-19 no país, anunciou hoje o ministro da Saúde de Itália, Roberto Speranza.

O encerramento das fronteiras “seria um erro e [uma medida] desproporcional”, explicou no final de uma reunião ministerial em Roma entre a Itália, a França, a Suíça, a Áustria, a Croácia, a Alemanha e a União Europeia.

Os ministros também decidiram “avaliar caso a caso” o possível cancelamento de grandes eventos, referiram em comunicado conjunto.

As autoridades italianas anunciaram hoje a existência de cem novos casos de infetados com Covid-19, existindo agora no país mais de 322 pessoas contagiadas em oito regiões diferentes, verificando-se já dez mortos, no país.

Em conferência de imprensa, o presidente da Proteção Civil italiana, Angelo Borrelli, disse os casos estavam, até aqui, concentrados no norte do país, mas que já há infetados do novo coronavirus nas regiões de Toscana e Sicília, no centro e sul de Itália.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de 2.705 mortos e mais de 80 mil pessoas infetadas, de acordo com dados reportados até hoje, por cerca de 30 países.

Além de 2.665 mortos na China, onde o surto começou no final do ano, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

Em Portugal, já foram contabilizados 16 casos suspeitos, 15 dos quais resultaram negativos após análises, estando um novo caso a ser avaliado.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Ler mais
Recomendadas

Quando um vírus serve para tentar legitimar as democracias musculadas

Populações são condescendentes com limitações no contexto de estado de emergência, mas há governos que tendem a exagerar as intrusões e a eternizar as medidas de exceção. Os suspeitos são os do costume.

Reino Unido poderá demorar mais de seis meses a regressar à normalidade

A previsão foi avançada durante o encontro virtual com os meios de comunicação, realizado diariamente a partir de Downing Street, – residência oficial do primeiro-ministro, Boris Johnson – que hoje contou também com o ministro britânico da Habitação, Robert Jenrick.

Alemanha. Ministro das finanças do estado de Hasse encontrado morto em linha do comboio

Thomas Schäfer tinha 54 anos e tinha aparecido recentemente em diversos eventos públicos para alertar para o risco do contágio da Covid-19. Era membro da CDU, o partido de centro-direita da chanceler Angela Merkel.
Comentários