Criação de emprego nos EUA impulsiona Dow Jones e S&P 500

No mês de março, foram criados mais 196 mil postos de trabalho, 12% acima das expectativas, o que se traduz num sinal de alívio aos mercados face aos receios em torno do arrefecimento económico. O desemprego manteve-se nos 3,8%.

Reuters

Os três principais índices da bolsa de Nova Iorque abriram a última sessão da semana sem tendência definida, mas o Dow Jones e o S&P 500 prosseguem os ganhos impulsionados pelos dados recentes sobre a criação de emprego nos Estados Unidos.

No mês de março, foram criados mais 196 mil postos de trabalho, 12% acima das expectativas, o que se traduz num sinal de alívio aos mercados face aos receios em torno do arrefecimento económico. O desemprego manteve-se nos 3,8%.

O S&P 500 sobe 0,21%, para 2.879,39 pontos; o industrial Dow Jones avança 0,64%, para 26.384,63 pontos; e tecnológico Nasdaq recua 0,06%, para 7.540,57 pontos.

Ainda no mercado de trabalho, os salários mantiveram-se inalterados, o que suporta a atitude paciente da Reserva Federal em manter as taxas de juros.

Nas empresas, destaque para a Tesla estar a recuperar as quedas registadas na véspera depois da empresa liderada por Elon Musk falhado as metas das encomendas, tendo entregue 30% menos do que o suposto durante o primeiro trimestre do ano. A Tesla está a subir 0,20% para 268,32 dólares.

Na frente internacional, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que as negociações comerciais com a China registaram progressos e revelou que nas próximas quatro semanas saberá se será possível alcançar o acordo.

Nas matérias-primas, o preço do petróleo está a subir. Em Londres, o Brent, referência para o mercado europeu, avança 0,12%, para 69,48 dólares. Nos EUA, o West Texas Intermediate ganha 0,52%, para 62,42 dólares.

 

Ler mais
Relacionadas

Dia E, de empregos

Nas matérias-primas o realce vai para a subida de quase 1% no preço do Brent crude, mais utilizado na Europa, para os $69.90 por barril, atingindo assim o valor mais elevado dos últimos seis meses e não dando espaço para uma descida dos preços dos combustíveis para breve.

Wall Street fecha mista com Dow Jones em máximos do ano

Os pedidos de subsídio de desemprego nos EUA recuaram de 212 mil para 202 mil na semana terminada a 30 de março, um nível inferior (melhor) ao esperado (215 mil), mas os analistas dizem que ainda assim não deverá impactar nas bolsas em Nova Iorque.

Wall Street ‘acorda’ tranquila a aguardar negociações entre EUA e China

Investidores tranquilos nesta abertura em Wall Street à espera de mais novidades em torno da guerra comercial.
Recomendadas

Ásia atrai investidores com retornos de 9%

Mercados emergentes podem crescer 8% até 2023, o dobro dos EUA e Europa. Regulação menos restritiva pode tornar a China continental numa alternativa ao investimento em Hong Kong e Singapura.

Visa diz que IA vai tornar o crédito mais personalizado

Antony Cahill, administrador da Visa, não decreta a ‘sentença de morte’ ao numerário, embora já nem use cartões de crédito. “Faço tudo pelo telefone”.

‘Guerra comercial’ afeta setor tecnológico e arrasta Wall Street

Conflito comercial entre EUA e China está a afetar o setor tecnológico e os outros índices foram arrastados para o ‘vermelho’.
Comentários