Défice comercial dos EUA atinge 71,1 mil milhões de dólares em fevereiro (com áudio)

O défice comercial dos Estados Unidos atingiu em fevereiro um novo máximo, de 71,1 mil milhões de dólares, com um recuo das exportações face às importações, num contexto de recuperação mais rápida da economia norte-americana.

O défice (equivalente a perto de 60 mil milhões de euros) teve um aumento de 4,8% em relação ao mês anterior, o que se deve a uma redução das exportações de 2,6% para 187,3 mil milhões de dólares, superior à das importações que recuaram apenas 0,7% para 258,3 mil milhões de dólares, segundo os dados divulgados hoje pelo Departamento do Comércio.

“O crescimento norte-americano mais rápido do que o do resto mundo levou o défice para níveis recorde”, indicou Oren Klachkin, economista da Oxford Economics, antecipando que o saldo negativo “deve continuar a aumentar à medida que a recuperação económica dos Estados Unidos se intensifica na primavera e no verão”.

Em fevereiro, o défice ficou acima do esperado, uma vez que os analistas apontavam para 70,5 mil milhões de dólares, depois de um saldo negativo de 67,8 mil milhões de dólares em janeiro.

Nos primeiros dois meses deste ano, os Estados Unidos acumulam um saldo negativo de 138,9 mil milhões de dólares (117,3 mil milhões de euros), em comparação com um défice de 82,3 mil milhões de dólares (69,6 mil milhões de euros) no mesmo período do ano passado, quando a pandemia de covid-19 começou a afetar a atividade económica global.

Recomendadas

Diminuição de receitas no futebol português reduziu contribuição para o PIB na época passada para 494 milhões (com áudio)

Em comparação com a temporada de 2018/19, e de acordo com o anuário da Liga, a época passada trouxe uma quebra de 55 milhões de euros na contribuição do PIB, com a seguinte distribuição pelas três Ligas consideradas: Liga NOS (480 milhões); Liga Pro (9 milhões) e Liga Portugal (5 milhões).

BCE mantém política monetária inalterada (com áudio)

As taxas de juro mantiveram-se inalteradas, bem como a dotação do pandemic emergency purchase programme (PEPP).

Moody’s prevê recuo do défice acumulado da dívida tarifária de eletricidade em 2021 (com áudio)

A Moody’s Investors Service afirmou esta quinta-feira que o défice acumulado da dívida tarifária de eletricidade de Portugal em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB) deverá cair para 1,4% em 2021, contra 1,5% em 2020.
Comentários