Denis Mukwege e Nadia Murad vencem Prémio Nobel da Paz

O anúncio da atribuição do prestigiado prémio ao médico e à ativista foi feito esta manhã de sexta-feira: “Nadia é uma das cerca de 3.000 raparigas e mulheres yazidis que foram vítimas de violação e de outros abusos do exército do Estado Islâmico”. “Denis condenou repetidamente a impunidade pela violação em massa e criticou o governo congolês”.

O médico Denis Mukwege e a ativista Nadia Murad venceram o Prémio Nobel da Paz de 2018. O comité norueguês do Nobel distinguiu estas duas personalidades pelo seu trabalho em pôr fim à violência sexual “como arma de guerra e conflito armado”.

O anúncio da atribuição do prestigiado prémio foi feito esta manhã de sexta-feira, 5 de outubro. Segundo o corpo de responsáveis pela escolha dos galardoados, Denis Mukwege tem um princípio básico de vida: “A justiça é um assunto de todos”. O comité considera o cirurgião e presidente da Panzi Foundation um “símbolo importante e unificador, tanto nacional como internacionalmente”.

Denis Mukwege condenou repetidamente a impunidade pela violação em massa e criticou o governo congolês e outros países por não fazerem o suficiente para impedir o uso da violência sexual contra as mulheres como estratégia e arma de guerra.

A iraquiana Nadia Murad Basee Taha, ativista pelos direitos humanos yazidi, é considerada pelos porta-vozes do Nobel uma testemunha de abusos contra si e contra os outros. “Demonstrou uma coragem incomum ao relatar os seus próprios sofrimentos e  aofalar em nome de outras vítimas”, refere, sobre a primeira Embaixadora da Boa Vontade para a Dignidade dos Sobreviventes de Tráfico Humano da Organização das Nações Unidas.

Nadia Murad é uma das cerca de 3.000 raparigas e mulheres yazidis que foram vítimas de violação e de outros abusos do exército do Estado Islâmico. Os abusos foram sistemáticos e fizeram parte de uma estratégia militar. Serviram como uma arma na luta contra os yazidis e outras minorias religiosas.

Prémio Nobel da Paz: Os maiores equívocos ou controvérsias da lista de vencedores

Notícia atualizada às 10h26

Ler mais
Relacionadas

Prémio Nobel da Paz: Os maiores equívocos ou controvérsias da lista de vencedores

A presença de Donald Trump na lista de candidatos ao Prémio Nobel da Paz em 2018 está a gerar perplexidade, mas ao longo da história destacam-se vários exemplos de atribuição equivocada ou controversa do galardão. O qual nunca distinguiu, por exemplo, Mahatma Gandhi, líder do movimento de independência da Índia e precursor da desobediência civil não-violenta.

Prémio Nobel da Paz debate alterações climáticas em Cascais

Além de Rajendra Pachauri, a conferência prevista para hoje contará com a presença do secretário de Estado do Ambiente, José Mendes.

Disparidade de género nos Prémios Nobel: Desde 1901 foram laureados 844 homens e 48 mulheres

Hoje foi atribuído o Prémio Nobel da Física a três cientistas, entre os quais uma mulher, algo que não acontecia há 55 anos. A última mulher que tinha ganho o Prémio Nobel da Física, Maria Goeppert-Mayer, em 1963, não era paga pelo trabalho que realizava e foi identificada na altura por vários jornais como “uma mãe de San Diego”.
Recomendadas

Instagram: Dados de 49 milhões de utilizadores partilhados online sem segurança

Milhões de celebridades e influencers do mundo podem ver os seus dados pessoais revelados ao público, depois da base de dados, onde as contas de Instagram estão agregadas, ter sido aberta para qualquer um consultar.

Suécia vai pedir a detenção de Julian Assange

O fundador da WikiLeaks enfrenta uma extradição para os Estados Unidos da América, a pedido de Donald Trump, e agora a Suécia pediu a detenção de Assange por este ser “suspeito de violação”.

Madonna atua no Coliseu de Lisboa nos dias 16, 18 e 19 de janeiro

A cantora norte-americana Madonna vai atuar no Coliseu de Lisboa nos dias 16, 18 e 19 de janeiro do próximo ano, anunciou hoje a promotora, no que serão os primeiros concertos da digressão europeia da artista.
Comentários