DevOps, o mundo por trás das atualizações dos nossos smartphones

Update no sistema operativo do iPhone ou Android? Fique a perceber o que está por trás das atualizações dos sistemas operativos dos nossos smartphones.

Cristina Bernardo

Sabia que se tiver um sistema operativo iOS ou Android, está a utilizar uma tecnologia de produção de software da qual provavelmente nunca ouviu falar? Já reparou que por vezes a aplicação da Netflix tem funcionalidades diferentes de um dia para o outro? As empresas de produção de software mais desenvolvidas no mundo da tecnologia fazem software com recurso a metodologia chamada ‘DevOps’, uma metodologia que tem grandes impactos para os consumidores finais de, por exemplo, dispositivos móveis, mas também na estrutura das empresas.

Na 10º edição do Q-Day, uma conferência anual da Quidgest, uma empresa de produção de software da qual o Jornal Económico é media partner, o ‘DevOps’ consegue aumentar a eficiência e a qualidade do software que suporta soluções tecnológicas, como os sistemas operativos iOS ou Android.

António Howcroft, fundador da Fiercely, explicou que atualmente o software “é cada vez mais complexo e as soluções que suporta têm um tempo de vida cada vez mais curto, colocando maior pressão nos programadores informáticos”.

O ‘DevOps’ agiliza o processo de produção de software que, por seu turno, suaviza a relação entre as dimensões do negócio e dos sistemas de informação das empresas. Para Manuel Pais, consultor de DevOps, com profundo conhecimento do capital humano necessário para desenvolver este modelo tecnológico, a origem do DevOps “advém de uma barreira existente entre o desenvolvimento de software e as operações da empresa”. Como? Howcroft respondeu que “a velocidade com que as empresas reagem a quebras de serviço é maior” durante as fases de produção e de pós-produção de um serviço informático.

A nível do impacto do DevOps na estrutura empresarial, Howcroft reconheceu que “o DevOps acarreta problemas de liderança, questionando a estrutura tradicional das empresas, nomeadamente, sobre em quem incumbe a chefia”. Num nível hierárquico mais baixo, o consultor Manuel Pais, incrementa “a métrica do fluxo de trabalho” das organizações que produzem software.

O “DevOps obriga a uma cultura com mais capacidades e talento, sendo que a automatização também é também uma vertente importante”, disse. “Empresas como a Amazon ou a Netflix, [com o DevOps], atingem uma ordem de magnitude com melhor produção, realizando cerca de 30 vezes mais deployments com 60 vezes maior taxa de sucesso, podendo todos os dias fazer uma alteração incremental nos serviços”.

A Quidgest realizou recentemente um projeto “ambicioso” para a Universidade Nova de Lisboa (UNL), disse Pedro costa, engenheiro da empresa e responsável pela instalação do ERP naquela faculdade. “O projeto consistia em organizar todas as faculdades da UNL num só sistema”, explicou. “A Quidgest implementou DevOps na universidade Nova”.

Com a implementação do DevOps, “todo o ciclo de produção tornou-se mais agilizado” e ajudou a “a melhorar a eficiência, agilizou o negocio, maior rapidez de desenvolvimento e melhor qualidade nas entregas subjacentes as soluções tecnológicos” da UNL, disse Pedro Costa. Revolucionário na sua essência, a plataforma ‘Genio’, produção de software da permitiu automatizar o ciclo de produção e testes, dando respostas mais rápidas às falhas do sistema operativo e com o menor impacto para o cliente”.

Ler mais

Relacionadas

Como a tecnologia do ‘Candy Crush’ pode maximizar o potencial das empresas

O ‘Agile’ é uma metodologia de produção de software que cria valor do produto tecnológico mais cedo. Apesar de ainda não estar generalizada nas organizações, há uma app de sucesso foi criada pela ‘Agile’ e que os portugueses conhecem bem.
Recomendadas

Receita fiscal sobe para 47.408 milhões de euros

Em ano de excedente orçamental, o Governo espera receber mais 1.276 milhões de euros do que em 2019. As receitas do IVA continuam a representar a principal fatia dos 26.878 milhões de euros estimados para os impostos indirectos.

Orçamento com poucas alterações

Para as famílias portuguesas, e em matéria de IRS, a Proposta de Lei do OE 2020 não contempla alterações com um impacto significativo.

Jaime Esteves: “Dedução fiscal para jovens que saem de casa dos pais tem impacto pequeno”

O fiscalista Jaime Esteves defende que o agravamento sucessivo da tributação do alojamento local é um dos problemas da política fiscal e que Portugal pode matar a ‘galinha dos ovos de ouro’ da recuperação económica.
Comentários