‘Dot plot’ mostra que a Fed deverá aumentar juros duas vezes até ao final de 2023

O ‘dot plot’ revela que 13 dos 18 membros do FOMC vêem pelo menos uma subida da taxa de juro em 2023, enquanto em março apenas sete tinham essa projeção. Onze membros sinalizaram a possibilidade de dois aumentos nesse ano, enquanto sete antecipam uma subida em 2022, face a quatro membros em março.

Kevin Lamarque/Reuters

A Reserva Federal quer manter a federal funds rate inalterada até 2023, segundo o dot plot, o gráfico, ou mapa de pontos, que mostra as previsões das taxas de juro feitas pelos membros do Federal Open Market Committee (FOMC). Nesse ano deverá decidir dois aumentos na taxa diretora.

O dot plot revela que 13 dos 18 membros do FOMC vêem pelo menos uma subida na taxa de juro em 2023, enquanto em março apenas sete tinham essa projeção. Onze membros sinalizaram a possibilidade de dois aumentos nesse ano, enquanto sete antecipam uma subida em 2022, face a quatro membros em março.

As projeções foram divulgadas depois da reunião de dois dias do Federal Open Market Committee, na qual os membros decidiram manter inalterada a taxa de juro diretora, no intervalo entre 0% e 0,25%, e o ritmo de aquisições programa de compra ativos num total de 120 mil milhões dólares por mês.

Relacionadas

Fed, mais otimista, vê a economia americana a crescer 7% este ano

A revisão em alta compara com a expansão de 6,5% que o banco central previa em março. Para 2022, a instituição liderada por Jerome Powell manteve a projeção de crescimento em 3,3%. As novas projeções apontam para inflação de 3,4% este ano, uma revisão em alta face aos 2,4% esperados em março.

Sem medo da inflação, Fed mantém taxa de juro e programa de compra inalterados

A Reserva Federal manteve a taxa de juro diretora, no intervalo entre 0% e 0,25% e o programa de compra de ativos no valor total de 120 mil milhões dólares por mês. A atenção passa agora para a conferência de imprensa de Jerome Powell, às 19h30.

“Mercados em Ação”. “Inflação nos EUA? Já sabíamos que 2021 iria ser o ano das commodities”

“A questão da inflação nos EUA é pertinente. Foi o maior aumento desde 1981 mas há que olhar para o que explica isto: as commodities. Já sabíamos que 2021 iria ser o ano das commodities”, destacou Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, a propósito do encontro de dois dias da Reserva Federal que termina esta quarta-feira.
Recomendadas

PremiumDavid Card: o Nobel da Economia com preocupações sociais

David Card estava em casa quando lhe ligaram a dizer que tinha ganho o Prémio Nobel. Vestindo um casual roupão, foi fotografado pela sua mulher, Cynthia Gessele, enquanto era entrevistado ao telefone pelo site oficial dos galardões suecos, o www.nobelprize.org.

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Cabo Verde. Quase 400 mil cabo-verdianos escolhem novo Presidente na terceira eleição num ano

O Tribunal Constitucional admitiu as candidaturas de José Maria Pereira Neves, Carlos Veiga, Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, Hélio Sanches, Joaquim Jaime Monteiro e Casimiro de Pina. É a primeira vez que Cabo Verde regista sete candidatos oficiais a Presidente da República em eleições diretas
Comentários