Elétricos já podem percorrer Portugal de Norte a Sul. Rede Brisa aposta na rede de carregamento

Os postos de carregamento encontram-se próximos dos principais polos urbanos de Portugal.

A rede de carregamento de veículos elétricos da Brisa já permite percorrer Portugal de Norte a Sul e ainda ir até à fronteira com Espanha. A Brisa instalou postos de carregamento elétrico rápidos e ultrarrápidos ao longo da rede de autoestradas operadas por si.

Em abril de 2021, a Brisa inaugurou os primeiros postos de carregamento numa autoestrada nacional, sob a marca Via Verde Electric, e desde então que o número de postos de carregamento elétrico existente nas áreas de serviço tem aumentado consideravelmente, encurtando as distâncias entre as opções de carregamento.

Os postos de carregamento encontram-se próximos dos principais polos urbanos de Portugal, estando ao longo da A3 – Porto/Valença, A1 – Autoestrada do Norte, A2 – Autoestrada do Sul e A6 – Marateca/Caia. As autoestradas do Norte e do Sul dispõem de 21 postos de carregamento em dez áreas de serviços, com uma distância média de 53 e 44 quilómetros entre si.

“Quando lançámos a rede de carregamentos Via Verde Electric, assumimos o compromisso de tornar possível percorrer o país, do Minho ao Algarve, num carro elétrico, a partir deste verão. Este objetivo foi cumprido e representa um marco no compromisso da Brisa com a sustentabilidade e cimenta a aposta da empresa na promoção da mobilidade elétrica e na descarbonização do sector rodoviário”, diz o presidente da comissão executiva da Brisa, António Pires de Lima, em comunicado.

A Brisa está ainda a desenvolver um projeto-piloto de uma funcionalidade digital que permite o pagamento pela utilização de qualquer posto de carregamento elétrico em Portugal, sendo a mesma integrada futuramente na app da Via Verde.

Atualmente, a rede de autoestradas da BCR dispõe de 27 carregadores elétricos de Norte a Sul do país e também perto da fronteira com Espanha, incluindo os rápidos e ultrarrápidos que integram a rede com a chancela Via Verde Electric, em 12 áreas de serviço, de Norte a Sul: A3 – Autoestrada Porto/Valença em Barcelos, A1 – Autoestrada do Norte em Antuã, Mealhada, Pombal, Leiria, Santarém e Aveiras, A2 – Autoestrada do Sul em Palmela, Alcácer, Aljustrel e Almodôvar, A6 – Autoestrada Marateca/Caia em Estremoz.

Todos os postos de carregamento do Via Verde Electric têm uma potência entre os 50 kW e os 350 kW, aproximando os tempos de carregamento das baterias dos carros elétricos aos de um abastecimento convencional de cerca de 15 minutos.

Até ao final do ano, o Via Verde Electric tem o objetivo de ser composto por 82 postos de carregamento elétrico instalados em 21 áreas de serviço situadas ao longo da rede de autoestradas da Brisa.

Foto cedida Brisa
Recomendadas

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Desenvolvimento tecnológico vai marcar segurança privada

Na lista das 10 tendências identificadas pela associação norte-americana de segurança, e que constam do seu último relatório, todas têm uma base tecnológica e metade respeitam a esta integração entre vídeo e software, com destaque para as ferramentas de reconhecimento facial.

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.
Comentários