“Eletrificação nos transportes é determinante”, garante secretário de Estado da Mobilidade

Eduardo Pinheiro sublinhou os apoios que têm sido fornecidos para a aquisição de automóveis elétricos, bem como o reforço de 50 milhões de euros na frota da Transtejo. Posição foi conhecida no segundo dia da “Portugal Smart Cities Summit 2020”, evento que conta com o “Jornal Económico” como media partner.

O secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, defendeu a importância da eletrificação nos transportes, na sessão de encerramento do segundo dia da “Portugal Smart Cities Summit 2020”, esta quarta-feira, 23 de setembro, evento que conta com o “Jornal Económico” como media partner.

“A eletrificação é determinante, tanto nos transportes públicos, como nos transportes individuais. Temos de caminhar a passos largos pelo impacto relativamente aos transportes e o impacto que tem: um quarto para as emissões de gases com efeitos de estufa. É preciso dar esses passos”, apontou Eduardo Pinheiro.

“No transporte público é preciso dar esses passos e já temos autocarros elétricos nas nossas ruas”, recordou o secretário de Estado da Mobilidade.

“No exemplo da estratégia da Soflusa, que todos os dias faz a ligação entre a margem sul e a margem norte do tejo, que é uma operação única no mundo, portanto, não há nenhuma operação com esta frequência em todo o mundo”, explicou Eduardo Pinheiro que recordou também o concurso do Governo de 50 milhões para a frota Transtejo “para a aquisição de dez embarcações elétricas, que vão substituir a frota existente movia neste momento a gasóleo”.

Eduardo Pinheiro espera que “nos próximos dias a adjudicação seja feita, portanto, felizmente tivemos concorrentes interessados e nesse sentido penso que é um passo determinante”.

Outro aspeto destacado pelo secretário de Estado da Mobilidade, no evento que tem o Jornal Económico como media partner, foi o dos apoios associados à aquisição de carros elétricos.

“Têm havido apoios para a aquisição dos mesmos, 3 milhões em 2020, aumentamos este valor para 4 milhões, tanto para empresas, mas incluindo também particulares , pelo que já esgotou, a procura é superior aquilo que estava disponível”, afirmou Eduardo Pinheiro enaltecendo que “observando ao longo dos anos a evolução, é fácil perceber que quando houve apoios as vendas aumentaram, quando não houve apoios, essas vendas reduziram”. “É importante haver esse tipo de apoio”, completou.

No geral, Eduardo Pinheiro acredita “cada vez mais na mobilidade que tem de ser partilhada”, bem como em existir “outras soluções de micromobilidade” e apontou que o hidrogénio, mencionado pelo secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, na manhã desta quarta-feira na “Portugal Smart Cities Summit 2020”, ” terá o seu espaço”, assim como a energia elétrica, que está “cada vez mais madura nesta fase”.

Ler mais

Relacionadas

BMW acredita nos elétricos mas avisa: “Motores de combustão interna ainda têm décadas de vida”

O representante da BMW considerou que o foco para o futuro deverá estar nos carros elétricos, sem esquecer o investimento nos automóveis com motor a combustão que em 2025 ainda vão representar 70% das vendas.

João Galamba: “Introdução do hidrogénio aumenta o valor económico de cada euro investido em eletricidade”

O secretário de Estado Adjunto e da Energia considera que existe uma relação simbiótica entre a eletrificação e o hidrogénio verde. “Se fossemos a Polónia, a República Checa ou Arábia Saudita provavelmente as decisões não seriam tão simples, mas Portugal não produz carvão e não extrai petróleo nem gás. É mais fácil”, disse, na abertura do segundo dia da Portugal Smart Cities Summit.
Recomendadas

Apple divulga iPhone 12 com 5G

A gigante tecnológica norte-americana está a apresentar esta terça-feira, num evento na Califórnia, os novos telemóveis e equipamentos da marca. Acompanhe os lançamentos aqui em direto.

PremiumPortugal vai triplicar verbas para ação climática

Economia circular, mobilidade elétrica, telemedicina e aproveitamento da água estiveram em debate na cimeira das cidades do futuro.

PremiumDiretora-geral da AIP: “O digital permitiu-nos ter visitantes de todo o mundo”

A organização de feiras e conferências foi afetada pela pandemia, mas está a retomar. O Portugal Smart Cities Summit foi o primeiro evento híbrido da AIP, uma edição ‘especial’ com participação presencial ou digital, diz a diretora-geral.
Comentários