Empresas e empreendedores apostam na inovação e encontram nova vida para pneus a chegar ao fim

A Beta-i, a Valorpneu, as multinacionais Genan e a Decathlon aceitaram o desafio de dar uma segunda vida aos pneus. Com o resultado deste projeto piloto, conseguiram reduzir 700 quilos de emissões de carbono na produção e cerca de 75% do consumo total de energia e água na sua produção.

A palavra “sustentabilidade” tem estado na ordem do dia das empresas e dos consumidores uma vez que cada vez mais são descartadas milhares de milhões de toneladas de materiais a que pode ser dada uma segunda vida.

É o caso dos pneus. Todos os anos no mundo são descartados mais de 30 milhões de toneladas de pneus em fim de vida, sendo que, só em Portugal, são descartadas 80 mil toneladas. Destas, 60% são encaminhadas para reciclagem e cerca de 40% para produção energética.

Tendo isto em conta, a consultora Beta-i, a portuguesa Valorpneu, a recicladora multinacional dinamarquesa Genan uniram-se, no âmbito do programa NextLap, e aceitaram o desafio de dar uma segunda vida a este material.

A estes, juntaram-se nove empresas associadas à cadeia de valor do sector e cinco empreendedores portugueses que começaram a desenvolver em conjunto seis projetos focados em dar uma segunda vida a materiais derivados da reciclagem de pneus em fim de vida e promover um mercado mais circular. A gigante francesa do desporto Decathlon, ao lado dos parceiros de inovação Rubberlink e Tintex, são responsáveis por dois destes projetos-piloto, que consistem em protótipos de calçado fabricado com materiais de pneus descartados, nomeadamente, o granulado de borracha, fibras têxteis e aço.

Recomendadas

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.

Resolução do BES seria sempre preferível à liquidação, defende Vítor Constâncio

Vítor Constâncio reiterou que “naquela circunstância, naquele momento, com aqueles dados finais do final de julho, não havia outra alternativa melhor do que encaminhar-se para um processo de resolução”.

António Horta-Osório condecorado pela rainha Isabel II com título de ‘Sir’

O antigo presidente-executivo do banco Lloyds foi reconhecido pela monarca pelo “serviço importante para os contribuintes do Reino Unido nos últimos 10 anos, liderando o Lloyds Banking Group da beira do colapso de volta à lucratividade”. 
Comentários