Entrega do IRS: Novas regras ameaçam rutura no fisco

Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos avisa que contribuintes podem não conseguir ter acesso ao Portal das Finanças devido à elevada afluência no último dia do prazo.

O prazo para a entrega do IRS é, este ano, o mesmo, independentemente de ser a primeira ou segunda fase da declaração. Se já é possível acontecerem problemas com o Portal das Finanças, desta vez os contribuintes que esperem pelo último dia para entregar o IRS correm o risco de não conseguirem aceder ao portal. O problema é que com a elevada afluência, o site pode ficar bloqueado, segundo noticia esta sexta-feira o Diário de Notícias.

“As pessoas têm tendência para deixar a entrega para o final do prazo e como neste ano as duas fases de entrega do imposto são coincidentes, receio que o sistema informático possa entrar em rutura”, avisa o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos (STI), Paulo Ralha, em declarações ao DN.

Na passada quarta-feira, último dia para validar faturas das despesas de 2016 no portal e-fatura, já se pode verificar o problema. O portal registou 1,445 milhões de acessos de contribuintes que só foram validar as faturas no último dia do prazo. A média do número de sessões abertas em simultâneo é normalmente de dez mil e na quarta-feira chegou aos 150 mil.

Vários contribuintes tiverem dificuldades em aceder ao portal e-fatura, que acusou a afluência e esteve lento ou bloqueado durante alguns momentos. Agora, o problema ameaça repetir-se, sendo que os contribuintes podem entregar o IRS entre os dias 1 de abril e 31 de maio. Quem deixar para os últimos dias (e não tiver acesso ao portal), tem de pedir a senha para aceder ao Portal das Finanças com mais antecedência já que a carta com a senha demora pelo menos cinco dias úteis a chegar a casa.

Relacionadas

E-faturas: Fisco não vai prolongar prazo para validação

Muitos contribuintes não conseguiram aceder ao portal devido à grande afluência ao site mas o prazo não vai ser alargado.

Saiba quais as despesas que pode deduzir no IRS

Todos os anos a entrega da declaração de IRS implica rever as despesas do ano anterior, verificar as faturas e fazer contas sobre se haverá lugar a pagamento, reembolso ou impacto neutro em termos fiscais. Para que não perca os benefícios fiscais referente ao IRS de 2016, o Jornal Económico reuniu as principais categorias de despesas e mostra-lhe quais as deduções e respetivos montantes.

Tudo o que precisa de saber sobre a entrega do IRS

O acesso ao portal E-Fatura faz-se com a mesma senha das Finanças que tem de estar válida. Também as despesas que foram pedidas com o NIF dos filhos têm de ser validadas e necessitam de senha.
Recomendadas

PremiumCEO da Unicre: “Depois do Porto, estamos em conversas para pagamento ‘contactless’ nos transportes em Lisboa”

Pioneira nos cartões de crédito em Portugal, a Unicre lança um ‘rebranding’ para salientar a base digital, atrair clientes jovens e abrir portas a mercados internacionais, revela o presidente da empresa, João Baptista Leite.

15 Medidas do Orçamento do Estado 2020 que afetam as suas finanças

Ainda não foi aprovado o Orçamento do Estado 2020, mas já se conhecem algumas das medidas em discussão para serem implementadas este ano, nomeadamente no que diz respeito aos impostos e outros benefícios fiscais e contribuições.

Simulações. Sabe quanto vai descontar de IRS em 2020? Quem ganha até 659 euros mensais fica isento

O Governo publicou hoje as novas tabelas de retenção na fonte a aplicar aos rendimentos de trabalho dependentes e de pensões em 2020. Isenções para quem ganha até 659 euros por mês. Contribuintes solteiros, sem filhos, que ganhem até 685 euros brutos vão descontar menos 412 euros por ano. Veja aqui as simulações.
Comentários