Espanha, França, Reino Unido e Suécia reconhecem Guaidó como presidente interino da Venezuela

Os quatro países anunciaram a sua posição depois de Nicolás Maduro ter recusado o ultimato europeu. Findo o prazo dado pela União Europeia para a marcação de eleições presidenciais, estes governos avançaram com o apoio ao seu principal adversário. Augusto Santos Silva irá “explicar a posição portuguesa de reconhecimento de Juan Guaidó como presidente encarregado de convocar eleições livres e justas na Venezuela” ainda esta segunda-feira.