Espanhola MásMovil compra Nowo e Oni

Quarta maior operador de telecomunicações em Espanha e GAEA compraram a Cabonitel, que detém 100% do capital da portuguesa Nowo, que por sua vez, detém o total de capital da Oni.

A empresa espanhola MásMovil comprou a Cabonitel, que detém a Nowo e a Oni, segundo uma notificação enviada à Autoridade da Concorrência (AdC). A par da telecom espanhola está também envolvida na aquisição a GAEA, empresa especificamente criada para esta operação e detida pela Inveready GP Holding.

“A operação de concentração projetada consiste na aquisição de controlo conjunto pela MASMOVIL IBERCOM, S.A. (“MásMovil”) e GAEA INVERSIÓN, S.C.R. (“GAEA”) da Cabonitel, S.A. (“Cabonitel”) e, indirectamente, das filiais directa ou indirectamente detidas por esta, nomeadamente a Nowo Communications, S.A. (“Nowo”) e a Onitelecom – Infocomunicações, S.A., (“Oni”) à Cobolink, S.à rl (“Cabolink”)”, refere o aviso publicado pela AdC esta terça-feira.

A Cabonitel, detém 100% do capital da portuguesa Nowo, que por sua vez, detém o total de capital da Oni, foi comprada aos franceses APAX, que tinham comprado em 2015 à Altice os ativos, pelos fundos KKR no ano passado. Por sua a vez, a Cabolink é detida por fundos geridos pela KKR.

A Nowo e a Oni anunciaram em novembro de 2018 a integração das operações das duas empresas para obter sinergias e “um crescimento sustentável”.

Recomendadas

Telefónica analisa compra parcial da Oi, avaliada em 6 mil milhões

A Oi é detida em cerca de 5% pela Bratel da portuguesa Pharol, ex-PT SGPS, que por sua vez tem como acionista o Novo Banco com ​9,56%. E o BCP tem poder para vender os 9,99% da High Bridge por conta de uma dívida bancária não paga.

ASF aprova norma que estabelece qualificação adequada para vendedores de seguros

A ASF entende que o reforço da qualificação “em impacto na qualidade da prestação de serviços, na diminuição da conflitualidade e do número de reclamações, o que, por seu turno, acarreta consequências positivas em termos reputacionais e da imagem do setor”.

Portugal vai “perder 200 milhões de euros num ano” mas Altice não vai “estorvar” compra da TVI

O processo de compra da dona da TVI pela Altice, por 440 milhões de euros, caiu por terra em junho do ano passado, quando o grupo espanhol Prisa, dono da Media Capital, confirmou a desistência do negócio. Hoje Alexandre Fonseca voltou a criticar a Autoridade da Concorrência (AdC) por durante meses não se ter pronunciado sobre o negócio.
Comentários