Espanhola MásMovil compra Nowo e Oni

Quarta maior operador de telecomunicações em Espanha e GAEA compraram a Cabonitel, que detém 100% do capital da portuguesa Nowo, que por sua vez, detém o total de capital da Oni.

A empresa espanhola MásMovil comprou a Cabonitel, que detém a Nowo e a Oni, segundo uma notificação enviada à Autoridade da Concorrência (AdC). A par da telecom espanhola está também envolvida na aquisição a GAEA, empresa especificamente criada para esta operação e detida pela Inveready GP Holding.

“A operação de concentração projetada consiste na aquisição de controlo conjunto pela MASMOVIL IBERCOM, S.A. (“MásMovil”) e GAEA INVERSIÓN, S.C.R. (“GAEA”) da Cabonitel, S.A. (“Cabonitel”) e, indirectamente, das filiais directa ou indirectamente detidas por esta, nomeadamente a Nowo Communications, S.A. (“Nowo”) e a Onitelecom – Infocomunicações, S.A., (“Oni”) à Cobolink, S.à rl (“Cabolink”)”, refere o aviso publicado pela AdC esta terça-feira.

A Cabonitel, detém 100% do capital da portuguesa Nowo, que por sua vez, detém o total de capital da Oni, foi comprada aos franceses APAX, que tinham comprado em 2015 à Altice os ativos, pelos fundos KKR no ano passado. Por sua a vez, a Cabolink é detida por fundos geridos pela KKR.

A Nowo e a Oni anunciaram em novembro de 2018 a integração das operações das duas empresas para obter sinergias e “um crescimento sustentável”.

Recomendadas

Vietname contorna Huawei ao desenvolver tecnologia própria para o 5G

A empresa estatal Viettel, que é operada pelo Ministério da Defesa do Vietname, vai começar a instalar a próxima geração de rede móvel a partir de junho e concluirá a implementação em todo o país no período de um ano.

Central de hidrogénio de Sines implica investimento de 3,5 mil milhões

O projeto visa criar hidrogénio verde em Portugal para ser exportado para os Países Baixos. Construção poderá arrancar em meados de 2021.

Matosinhos chama empreendedores do mar para “inverter ciclos negativos” da economia azul

O programa BluAct é apresentado esta segunda-feira em Matosinhos, cidade que representa Portugal a nível europeu. “Há cerca de 200 investigadores a trabalhar no centro tecnológico CIIMAR que, em muitos casos, têm ideias que não avançam por não terem estímulos suficientes”, disse António Correia Pinto, vereador do Ambiente da Câmara Municipal, ao Jornal Económico.
Comentários