Juros da dívida portuguesa afundam depois de Draghi admitir novas políticas de estímulo

Draghi admitiu que o BCE estará disposto a lançar estímulos adicionais caso os riscos não diminuam. Discurso do presidente do BCE teve eco nos mercados, com o euro e os títulos de dívida do governo alemão a caírem.

Yves Herman/Reuters

O discurso de Mario Draghi teve impacto imediato nos mercados, com o euro a afundar depois do presidente do Banco Central Europeu (BCE) ter admitido esta terça-feira que poderão ser necessárias novas medidas de estímulo para a zona euro e não descartou, em caso de necessidade, um novo corte na taxa de juros se os riscos não atenuarem.

O euro caiu 0,29% para os 1,1185 dólares, enquanto às 9 horas negociava nos 1,1242 dólares. Também as obrigações alemãs a 10 anos caíram a pique depois das palavras do italiano, recuando 0,295%. Já os juros da dívida portuguesa a 10 anos caíram para 0,589%.

O líder do banco central revelou, no Fórum do BCE, que decorre até esta quarta-feira em Sintra,  que, nas próximas semanas, o Conselho de Governadores irá deliberar sobre como é que as ferramentas de política monetária serão implementadas, de forma a serem adaptadas para mitigar os riscos.

“Na ausência de melhorias, isto é, se as condições que ameaçam o regresso a um nível de inflação sustentado persistirem, serão necessários estímulos adicionais”, disse.

Draghi pronto a lançar novos estímulos adicionais se riscos não atenuarem

 

Ler mais

Relacionadas

Draghi pronto a lançar novos estímulos adicionais se riscos não atenuarem

Entre os instrumentos que podem ser utilizados pelo BCE, Mario Draghi salientou “a política de mais cortes nas taxas de juro”, assim como” medidas que permitam conter externalidades”.

Um ministro das Finanças e um orçamento comum, as receitas de Blanchard para a Zona Euro

O antigo economista-chefe do FMI traçou o caminho para uma política monetária e orçamental mais coordenada para a zona euro. Além da criação de um posto de ministro das Finanças, Olivier Blanchard disse que é essencial agilizar as políticas sobre o défice e sugeriu um orçamento comunitário comum.

“Estou simplesmente impressionado com o que Mario conseguiu”: o elogio de Blanchard a Draghi

No discurso inicial do Fórum do Banco Central Europeu, que arrancou esta segunda-feira e se estende até quarta-feira, em Sintra, o antigo-economista chefe do FMI elogiou o “pragmatismo”, “criatividade” e “sentido político” de Mario Draghi. Discurso do italiano e ‘policy panel’ são dois dos destaques de hoje.
Recomendadas

Receita fiscal sobe para 47.408 milhões de euros

Em ano de excedente orçamental, o Governo espera receber mais 1.276 milhões de euros do que em 2019. As receitas do IVA continuam a representar a principal fatia dos 26.878 milhões de euros estimados para os impostos indirectos.

Orçamento com poucas alterações

Para as famílias portuguesas, e em matéria de IRS, a Proposta de Lei do OE 2020 não contempla alterações com um impacto significativo.

Jaime Esteves: “Dedução fiscal para jovens que saem de casa dos pais tem impacto pequeno”

O fiscalista Jaime Esteves defende que o agravamento sucessivo da tributação do alojamento local é um dos problemas da política fiscal e que Portugal pode matar a ‘galinha dos ovos de ouro’ da recuperação económica.
Comentários