Eurosondagem aponta para eleição de André Ventura em Lisboa

Trabalho da Eurosondagem indica 40% e 22 deputados para a lista do PS, enquanto o PSD só ganharia dez mandatos e, além do líder do Chega, outro representante dos pequenos partidos entrará para a Assembleia da República.

O presidente do Chega, André Ventura, será eleito deputado por Lisboa, segundo um estudo de opinião feito pela Eurosondagem para o partido que se apresenta pela primeira vez às eleições legislativas. A projeção dos votos no Chega chega a 2,2% no maior círculo de Portugal, que tem 48 mandatos parlamentares, mas mesmo sem a distribuição das respostas “não sabe” e “não responde”, os 1,8% de entrevistados que indicam preferência nesse partido correspondem ao valor mínimo para a eleição de deputados.

O estudo de opinião da Eurosondagem aponta para uma vitória do PS, cuja lista por Lisboa é encabeçada pelo primeiro-ministro e líder partidário António Costa, com 40,0% dos votos e 22 deputados. Muito atrás viria o PSD, que apresenta Filipa Roseta como cabeça de lista, com menos de metade dos votos: 19,1% dos votos, correspondentes a dez deputados.

Entre as restantes listas destaca-se a do Bloco de Esquerda, encabeçada por Mariana Mortágua, com 10,1% e cinco mandatos, enquanto a CDU, liderada por Jerónimo de Sousa, ficaria por 7,7% e quatro mandatos, o CDS-PP, encabeçada por Assunção Cristas, não iria além de 6,6% e três mandatos e o PAN, de André Silva, duplicaria a representação no círculo, passando para dois mandatos, com 4,5% dos votos. Mas o estudo de opinião da Eurosondagem indica que será eleito mais um deputado por outro dos pequenos partidos, estando projetados 9,8% dos votos para a soma dos restantes.

Em 2015, a coligação Portugal à Frente foi a mais votada em Lisboa, com 34,7% e elegeu 18 deputados (13 do PSD e cinco do CDS-PP), os mesmos que o PS, que teve 33,5%. Em terceiro ficou o Bloco de Esquerda, com 10,9% e cinco deputados, mas há quatro anos a CDU teve um resultado melhor, com 9,8% dos votos e cinco mandatos. Numa altura em que o círculo elegia menos um deputado do que os 48 em jogo nas legislativas de 6 de outubro, deu-se ainda a estreia do PAN, com 2,0% dos votos a bastarem para a eleição de André Silva.

Confirmando-se a distribuição de mandatos decorrente dos resultados do estudo de opinião da Eurosondagem, o PS ganharia quatro deputados, o PSD perderia três, o Bloco de Esquerda manteria a mesma representação em Lisboa, a CDU perderia um e o CDS-PP perderia dois, o PAN ficaria com mais um e tanto o Chega como outro dos pequenos partidos elegeriam os cabeças de lista.

Ficha Técnica:

Estudo de Opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A. para o Partido CHEGA nos dias 18 e 19 de Setembro de 2019. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente no Distrito de Lisboa, e habitando em lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 867 tentativas de entrevistas e, destas 148 (9,2%) não aceitaram colaborar no Estudo de Opinião. Foram validadas 719 entrevistas. erro máximo da Amostra é de 3,65%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Ler mais
Recomendadas

Marques Mendes diz que Governo vai propor a Bruxelas variação da taxa do IVA da eletricidade em função do consumo

O comentador da SIC e antigo presidente do PSD, Luís Marques Mendes, diz que, ao que apurou junto de fontes governamentais, o Executivo de António Costa não vai incluir a redução do IVA da eletricidade no Orçamento do Estado para 2020 (OE 2020), mas que diálogo em Bruxelas é um sinal “positivo”.
rui_rio_psd

PSD questiona ‘cativação’ no Ministério das Finanças de três milhões de euros destinados à ERC

Os social-democratas indicam que é o terceiro ano consecutivo que o Executivo de António Costa não cumpre o estipulado na lei e questionam quando é que a verba será transferida para a Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC).
joão_cotrim_figueiredo_iniciativa_liberal_legislativas

Iniciativa Liberal quer impedir “injeções adicionais” do Estado no Fundo de Resolução

O deputado da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, anunciou hoje, na tomada de posse como presidente do partido, um projeto de resolução “no sentido de impedir qualquer injeção adicional de dinheiro do Estado no Fundo de Resolução da banca”.
Comentários