‘Fantasy Leagues’: RealFvr vai lançar modelo premium. Inclui ‘virtual coach’ e a remoção da publicidade

O modelo anunciado para as primeiras semanas de março terá um custo de 1,50 a 1,99 euros, e tem como principal objetivo “poder melhorar a experiência do utilizador” explica Fred Antunes, CEO da RealFvr, no programa “Mercados em Ação” da JE TV.

Fred Antunes, CEO da RealFvr, anunciou no programa da JE TV “Mercados em Ação” o lançamento de modelo premium para a plataforma de ‘fantasy leagues’. Entre as novidades destaca-se a introdução de um ‘virtual coach’, a remoção da publicidade e troca de experiências por conteúdos.

O modelo anunciado para as primeiras semanas de março terá um custo de 1,50 a 1,99 euros, e tem como principal objetivo “melhorar a experiência do utilizador” explica Fred Antunes. O presidente executivo da RealFvr acrescenta ainda que “quem reconhece valor à plataforma acaba por poder despender de uma quantia” o que fomentou a criação dos conteúdos premium.

Mesmo depois de avançar valores, Fred Antunes explica que a intenção por lançar o modelo premium através de outro conceito semelhante, o ‘freemium’ – consiste em trocar experiências por conteúdos, ou seja, explorar as parcerias da aplicação com outras entidades físicas.

“Queremos disponibilizar aos nossos utilizadores um conjunto de marcas, produtos e serviços que eles reconheçam valor e que ao experimentarem, ao consumirem, ganhem acesso ao premium por um tempo definido” explica Fred Antunes.

Em cima da mesa estão parcerias com ginásios, salas de crossfit, stands e marcas de automóveis entre outras. A escolha das entidades também é um aspeto importante que Fred Antunes salientou dizendo que “o objetivo é estimular as pessoas a sair de casa e, de preferência, a praticarem desporto”.

Na primeira fase do lançamento do conteúdo premium os utilizadores aderentes vão ter a possibilidade de remover a publicidade, aumentar o número de equipas criadas por competição e, por fim, beneficiar da ajuda de um “treinador adjunto” que resume dados considerados importantes das equipas e dos jogadores profissionais para os “utilizadores que não têm tempo de acompanhar os jogos de futebol” como explica Fred Antunes.

Recomendadas

Futebol: campeonatos nacionais não profissionais concluídos antecipadamente pela FPF

A FPF dá por concluídas as provas desta época, sem atribuir vencedores a estas competições nem se fazendo sentir o regime de subidas e descidas.

“Nunca o modelo americanizado esteve tão próximo”, considera juiz do TAD

Que modelos competitivos vamos ter no contexto do desporto europeu após a pandemia de Covid-19. Jerry Silva, juiz do Tribunal Arbitral do Desporto, considera que está aberto o caminho para a realização de competições fechadas como a SuperLiga europeia.

“Vamos precisar de um Plano Marshall para o futebol”

Luís Miguel Henrique referiu na última edição do programa “Jogo Económico”, da plataforma JE TV, que um corte como aconteceu no FC Barcelona, por exemplo, dificilmente poderia ser replicado num clube da Liga portuguesa. “É difícil que o problema se resolva à escala de cada país, FIFA e UEFA têm meios para ajudar os clubes”, realçou.
Comentários