FECTRANS defende mais transportes públicos devido à limitação de ocupação

“Pensamos que é preciso repor a 100%, mas efetivamente haveria necessidade de termos uma oferta ainda maior”, afirmou o coordenador da FECTRANS, José Manuel Oliveira, em declarações à agência Lusa.

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS) alertou hoje para a necessidade de haver uma oferta de transportes públicos superior a 100% em todo o país, devido à limitação de dois terços da capacidade, em contexto pandémico.

“Pensamos que é preciso repor a 100%, mas efetivamente haveria necessidade de termos uma oferta ainda maior”, afirmou o coordenador da FECTRANS, José Manuel Oliveira, em declarações à agência Lusa.

De acordo com o dirigente sindical, é necessário adaptar a oferta ao contexto atual de pandemia da covid-19.

“Nós verificámos, no período antes da pandemia, que muitos autocarros já andavam sobrelotados. Com a oferta a 100%, se é necessário limitar a oferta a dois terços para que haja a possibilidade de transporte de todas as pessoas, é preciso que haja mais autocarros”, observou.

José Manuel Oliveira avisou ainda que a reposição de oferta de transportes públicos deve ser concretizada em todo o país e não apenas nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

“Esta reposição de oferta não pode ser apenas vista no contexto das áreas metropolitanas, mas em todo o país, porque todo o país necessita de uma política de mobilidade, na qual as empresas rodoviárias privadas de passageiros têm um papel a cumprir”, disse.

Na semana passada, o ministro do Ambiente e Ação Climática, João Matos Fernandes, no ‘podcast’ do PS “Política com Palavra”, afirmou que o país passará a ter oferta plena nos transportes públicos para fazer face ao aumento da procura devido à reabertura das escolas, “mesmo sabendo que a procura vai ser inferior a esses 100%”.

O primeiro-ministro apelou, no mesmo dia, às empresas das duas Áreas Metropolitanas para que, sempre que possível, adotem diferenciação de horários na entrada dos funcionários para evitar aglomerações de pessoas nos transportes públicos, onde as regras já em vigor se mantêm.

Recomendadas

Sonae, SAP e Nestlé lideram programa europeu de requalificação de profissionais

De acordo com o comunicado divulgado esta sexta-feira, a primeira ação de formação será liderada pela Nestlé, dirigindo-se à requalificação de profissionais para o setor da Indústria. A formação para Técnicos de Manutenção irá arrancar em janeiro de 2022 no Serviço de Formação do Porto do IEFP e terá a duração aproximada de seis meses.

Teletrabalho. CES, parceiros sociais e Escola Nacional de Saúde vão estudar impacto do trabalho remoto

Explica o Conselho Económico e Social em comunicado que este projeto “tem como objetivo compreender de que forma o teletrabalho pode afetar a saúde mental e física dos funcionários e, indiretamente, o bem-estar no trabalho, a organização das empresas e a sua produtividade”.

Ordem dos Economistas. Veja ou reveja a entrevista a António Mendonça, novo bastonário da Ordem

A 7 de outubro, o então candidato a bastonário destacou em entrevista ao JE que o objetivo da sua candidatura passava por mudar a Ordem, prestigiar os economistas e colocar esses profissionais ao serviço do crescimento económico do país, nomeadamente no que diz respeito ao acompanhamento e monitorização do Plano de Recuperação e Resiliência. António Mendonça foi eleito esta sexta-feira, numa corrida eleitoral que contou com a presença de Pedro Reis.
Comentários