Financial Times elege clube mais ‘inteligente’ do mundo

Reputada publicação de economia analisou, através da base de dados da consultora KPMG, as contas de 69 clubes de futebol durante quatro temporadas. Os resultados são surpreendentes.

Carl Recine/Reuters

O Atlético de Madrid é o clube europeu “mais inteligente” do mundo no que concerne à relação entre gastos salariais e aos resultados obtidos nas diversas competições. Esta é a principal conclusão que pode obter da análise aos números divulgados pela KPMG, que destaca também equipas da Premier League que investiram o seu dinheiro de forma efetiva e com resultados práticos: Everton, Tottenham Hotspur e Southampton.

Pelo contrário, na lista dos clubes com piores resultados, existem equipas que não competem nas principais ligas mas também alguns clubes históricos a nível da Europa, como o Inter de Milão e o AC Milan.

O Manchester United é o clube que mais gasta na Europa depois do FC Barcelona. O mítico emblema britânico regista um custo salarial de 321 milhões de euros mas apesar dessa soma avultada, terminou a última época num modesto quinto lugar na Premier League.

O Financial Times escreve, de acordo com a análise de alguns especialistas em gestão desportiva, que a melhor forma de prever em que posição terminará um clube na tabela classificativa é fixar-se no custo salarial dos seus jogadores.

Apesar das diferenças a nível financeiro para outros emblemas, o Atlético de Madrid continua a ‘ombrear’ com os principais clubes europeus. Na última temporada, os ‘colchoneros’ gastaram 137 milhões de euros em salários com o seu plantel, o que o converteu no oitavo clube europeu que mais pagou aos seus jogadores. Assim, a equipa madrilena foi finalista da Champions e ficou a escassos três pontos do campeão espanhol, Barcelona, que investiu 372 milhões em salários.

Recomendadas

Associações deixam comissão sobre estratégia dos cereais e culpam Governo

Em causa está a “evidente falta de compromisso” do Ministério da Agricultura em aplicar esta estratégia, sobretudo, após ter remetido às confederações um documento relativo às decisões sobre os pagamentos diretos 2022 da Política Agrícola Comum (PAC).

‘Handling’ é de interesse público mas não significa salvaguardar acionista da Groundforce, diz Siza Vieira (com áudio)

Questionado sobre se o setor do turismo e hotelaria pode estar confiante de que não acontecerão novas paralisações, o ministro da Economia disse julgar que “estão criadas as condições para que isso não suceda”.

Comissão Europeia majora adiantamentos de pagamentos a agricultores

Segundo um comunicado, esta medida vai permitir majorar de 50% para 70% os adiantamentos dos pagamentos diretos aos agricultores e para 85% (de 75%) dos pagamentos do desenvolvimento rural.
Comentários