Funchal: Coligação Confiança quer construir parque urbano no vale da praia Formosa

Miguel Silva Gouveia vincou ainda que o projeto vai criar uma ligação harmoniosa com a Praia Formosa, “sendo que este novo espaço de fruição natural estará estrategicamente interligado com a última praia gratuita de que a cidade dispõe”.

A candidatura da Coligação Confiança à Câmara Municipal do Funchal esteve esta manhã junto ao vale da Praia Formosa, na freguesia de São Martinho, para apresentar a proposta de criação de um Parque Urbano da cidade, que ficará situado naquele espaço.

O candidato da à Presidência da CMF, Miguel Silva Gouveia, referiu que “a área em estudo para a implantação do futuro parque está classificada como zona verde no Plano de Urbanização do Amparo e, no início do próximo mandato, encetaremos um processo de negociação com os proprietários dos terrenos em causa, para que a Câmara do Funchal possa adquirir legalmente estas parcelas”.

“Quando tivermos todos os terrenos em posse municipal, e com os proprietários devidamente recompensados pelos mesmos, vamos dar início à construção do parque, que será um novo pulmão verde da cidade do Funchal, permitindo que todos os funchalenses possam usufruir, bem próximo do centro da cidade, de um espaço de convívio com a natureza e de lazer, e com uma componente que não pode faltar nestes locais e que passa por potenciar a prática desportiva e o exercício físico”, salientou.

Miguel Silva Gouveia vincou ainda que o projeto vai criar uma ligação harmoniosa com a Praia Formosa, “sendo que este novo espaço de fruição natural estará estrategicamente interligado com a última praia gratuita de que a cidade dispõe”.

Este é mais um dos compromissos da Coligação Confiança para o próximo mandato. Nesse sentido, o candidato realçou que “é fundamental que todos os cidadãos residentes no Funchal percebam o que está em causa nas próximas eleições, onde existem duas opções claras: ou a cidade regressa ao passado, com um modelo que vigorou durante décadas e que falhou aos funchalenses, deixando más memórias e uma herança pesada para pagar; ou optam, pelo contrário, por seguir o modelo de desenvolvimento dos últimos oito anos e por um futuro de confiança, que assenta numa gestão responsável e séria, envolvendo todos os cidadãos na construção de uma cidade mais livre, mais justa e mais sustentável”.

“No próximo domingo, não queremos regressar ao passado. Esperamos, por isso, que os funchalenses deem esse voto de confiança ao Funchal, para que a cidade saia vitoriosa destas eleições”, concluiu Miguel Silva Gouveia.

Recomendadas

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.

Autárquicas: Chega impõe condições para se coligar com PSD e descarta acordos com PS e CDU

Em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa, André Ventura abordou os resultados das eleições autárquicas de domingo, onde o Chega elegeu 19 vereadores, para referir que “não haverá qualquer acordo nacional autárquico entre o Chega e o PSD”.
Comentários