Governo avalia criação de incentivos para fixar professores nas escolas

De acordo com o Ministério da Educação, tutelado por Tiago Brandão Rodrigues, estes incentivos estão a ser estudados em articulação com outros ministérios e autarquias.

Tiago Brandão Rodrigues

O Governo está a estudar criar incentivos à fixação de professores colocados em “territórios onde se têm verificado maiores desafios”, noticia o “Público” este sábado, 14 de dezembro.

O Executivo não revela que tipo de apoios estão a ser avaliados, mas uma das medidas poderá configurar incentivos para apoiar os docentes a conseguir habitação a preços mais acessíveis.

De acordo com o Ministério da Educação, tutelado por Tiago Brandão Rodrigues, estes incentivos estão a ser estudados em articulação com outros ministérios e autarquias.

No último ano, têm sido várias as notícias de que os valores elevados das rendas de habitações têm colocado dificuldades à colocação de professores nas grandes cidades e regiões com maiores dinâmicas económicas.

De acordo com o “Público”, o sistema de ensino português enfrenta vários desafios, tendo em conta que nos próximos quatro anos cerca de 18 mil professores vão sair das escolas para a reforma e, ao mesmo tempo, haverá perto de 101 mil alunos a menos.

 

Ler mais
Relacionadas

Custo das rendas pode deixar quase 20 mil alunos sem professores

Câmaras municipais pedem apoio ao Governo para fixar docentes que estejam longe de casa.

Docente aluga sofá a dez euros por dia para continuar a dar aulas em Lisboa

O acesso à habitação para os professores deslocados é um problema identificado, sobretudo em regiões como Lisboa, onde os preços exigidos pelo aluguer de um quarto ou habitação são incomportáveis para a maioria.

“Uma verdadeira provocação”. Aumento salarial de 0,3% indigna professores

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) considerou hoje “inaceitável” e uma “verdadeira provocação” a proposta de aumentos salariais de 0,3% para 2020, acusando o Governo de “desvalorizar o trabalho” e “desrespeitar os trabalhadores”.

Falta de professores poderá agravar-se “num futuro próximo”, alerta estudo

Mais de metade dos docentes (52,9%) dos docentes tem 50 ou mais anos e apenas 1,1% se situam abaixo dos 35 anos.
Recomendadas

Aluno do ISEG vence Prémio António Simões Lopes

Atribuído pela Ordem dos Economistas, o prémio distingue as teses de doutoramento na área das Ciências Económicas e Empresariais, aprovadas em provas públicas em universidades portuguesas.

“Mobilizar uma equipa com várias competências é o maior desafio das startups”, diz professor da Nova

O Programa de Empreendedorismo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova começa esta terça-feira. Lisboa recebe Frank Rimalovski, diretor do Instituto Empreendedor da New York University, para dar ‘luzes’ aos alunos sobre como materializar uma ideia.

“Quero que os doutorados tragam mais qualidade para a gestão”

O ministro Santos Silva lançou um repto aos graduados a viver no estrangeiro: coloquem o vosso ‘know-how’ ao serviço do desenvolvimento do país.
Comentários