Governo e FEI aprovam novo fundo para startups tecnológicas ligadas à economia azul (e verde)

O “Faber Blue Pioneers I Fund” é o primeiro fundo para empresas de alta tecnologia da Península Ibérica que trabalhem com o mar e no combate às alterações climáticas. O objetivo é ter 30 milhões para financiamento à inovação.

António Pedro Santos/Lusa

Já nasceu o primeiro fundo de investimento em empresas ligadas à economia do mar, no âmbito do Portugal Blue, o programa de 75 milhões de euros que resultou de uma parceria entre o Fundo Europeu de Investimento (FEI), o Governo (através do Fundo Azul) e o Banco Português de Fomento.

Chama-se Faber Blue Pioneers Fund e foi anunciado esta quarta-feira durante um evento em Lisboa, com a indicação de que se encontram em análise os primeiros investimentos e está em processo final de registo e aprovação pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O fundo, que tem o intuito de atingir o montante de 30 milhões de euros, irá investir em startups em fase inicial – desde pré-seed a série A – principalmente na Península Ibérica e países do sul da Europa, que trabalhem em áreas como a biotecnologia azul, alimentos e rações do oceano, saúde oceânica, inteligência oceânica ou descarbonização em geral. A ambição é ter um portefólio de 20-25 empresas inovadoras.

O capital advém do Portugal Blue e de investidores privados institucionais como a Sociedade Francisco Manuel dos Santos (através do seu braço de investimento Movendo Capital) e as fundações Calouste Gulbenkian e Champalimaud.

“Não temos dúvidas de que o oceano terá um papel fundamental no futuro da humanidade e consideramos importante apoiar empreendedores e negócios inovadores que buscam encontrar soluções para os desafios do século XXI. O nosso papel fundamental na criação do fundo Blue Pioneers tinha esse objetivo em mente. Acreditamos que este fundo é muito adequado para apoiar e promover inovações relevantes neste espaço”, conclui José Soares dos Santos, administrador da Jerónimo Martins e presidente da Sociedade Francisco Manuel dos Santos.

“O Portugal Blue é um Programa que tem em consideração a posição geográfica do país e o seu significativo espaço marítimo. Visa estimular o investimento privado e atrair a inovação para atividades ligadas ao mar”, garantiu o ministro da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

Para o ministro do Mar, este primeiro investimento do Portugal Blue “marca uma nova fase de maturidade dos instrumentos de financiamento à disposição da economia azul”. “Acredito que esta parceria terá um papel fundamental na dinamização de alguns dos mais promissores setores e projetos da economia azul em Portugal”, disse.

O fundo será gerido pela Faber Capital SCR, nomeadamente por uma nova equipa de investimento liderada por Rita Sousa e Carlos Esteban (sócios) e Bruno Ferreira (venture partner), que irá trabalhar em colaboração com uma rede de consultores especializados, incluindo Tiago Pitta e Cunha (CEO da Fundação Oceano Azul), Susana Moreira ou Joana Moreira da Silva (investigadoras da Ciimar).

Recomendadas

Mercado automóvel sobe 3,3% até novembro, mas cai face a 2019

“Nos 11 meses de 2021, foram colocados em circulação 163.944 novos veículos, o que representou uma diminuição de 33,1% relativamente a 2019, apesar da comparação com 2020 mostrar um aumento de 3,3%”, indicou, em comunicado, a ACAP.

Covid-19: ANA diz que recuperação do tráfego está nos 50%, mas nova variante pode obrigar a rever previsões

A gestora aeroportuária diz que foi conservadora nas previsões que fez e que, por isso, está a ser surpreendida “pela positiva”, mas admite que a nova variante do SARS-CoV-2 poderá forçá-la a alterar projeções, devidos a possíveis cancelamentos.

UE só exportou metade do valor de produtos de energia verde importados em 2020

O valor das importações de painéis solares e biodiesel foi muito superior ao valor correspondente das exportações dos 27 Estados-membros destes bens para países fora da UE.
Comentários