Governo quer que Portugal se mantenha um dos dez maiores exportadores mundiais de vinho

“O sucesso do setor também é visível pela execução do Programa Nacional de Apoio ao setor vitivinícola”, referiu a ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, nas Caldas da Rainha.

A ministra da Agricultura afirmou esta quarta-feira que pretende dar continuidade ao percurso do setor vitícola nacional, que tem evoluído e é hoje um importante embaixador de Portugal no estrangeiro.

“O setor tem sabido corresponder à procura e afirmar-se num mercado global que, a par das oportunidades, acarreta também muitos desafios. Portugal encontra-se no Top 10 dos exportadores mundiais”, disse Maria do Céu Albuquerque, no Fórum Anual Vinhos de Portugal, que se realizou nas Caldas da Rainha.

A governante diz que os vinhos portugueses não estagnaram e procuraram, ao longo do tempo, estar sempre “na linha da frente na resposta aos mais diversos desafios”. “Testou, adaptou, criou e cresceu – uma receita bem conseguida que, certamente, será para manter”, referiu a ministra, no mesmo encontro.

A responsável pela pasta da Agricultura explicou ainda que o país incluiu o apoio à promoção em países terceiros no PNA (Programa Nacional de Apoio) ao Setor Vitivinícola – cujas taxas de execução anuais são de cerca de 100% da dotação total atribuída a Portugal – e revelou que, para 2020, já estão a decorrer dois concursos: um de auxílio à promoção em países terceiro e um de auxílio à promoção no mercado interno (Portugal e União Europeia).

Na opinião de Maria do Céu Albuquerque é possível “reconhecer a relevância da promoção no reforço e na manutenção da notoriedade em mercados externos e, consequentemente, como forma de gerar valor para os nossos vinhos”.

Recomendadas

Covid-19: Ibersol encerra 159 unidades de restauração

A empresa adianta que, oor enquanto, vai manter abertos 182 restaurantes, ainda que operando com um baixo nível de atividade.

Covid-19: Too Good To Go cria projeto temporário de ‘take away’

A plataforma contra o desperdício alimentar garante que esta iniciativa não tem fins lucrativos para a empresa, sublinhando que o objetivo ‘e “dar um pouco de esperança, aos estabelecimentos locais”.

Covid-19: Riberalves entrega bacalhau em casa sem custos acrescidos

A empresa nacional de transformação de bacalhau garante que esta iniciativa no distrito de Lisboa cumpre as melhores práticas de saúde, higiene e segurança alimentar, bem como as recomendações da Direcção-Geral de Saúde.
Comentários