Governo vai realizar estudo para saber onde construir novo aeroporto de Lisboa. Alcochete volta a ser hipótese (com áudio)

A tutela de Pedro Nuno Santos vai realizar um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) para comparar várias soluções para aumentar a capacidade aeroportuária da região da grande Lisboa, depois de o aeroporto do Montijo ter sido chumbado pelo regulador do sector.

José Sena Goulão/Lusa

Depois de o regulador da aviação ter chumbado a construção de um aeroporto no Montijo, o Governo vai avançar para a realização de um processo de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) com o objetivo de comparar várias hipóteses para aumentar as infraestruturas aeroportuárias da região da Grande Lisboa.

“O Governo compromete-se a respeitar a solução que vier a ser identificada na Avaliação Ambiental Estratégica”, garante a tutela de Pedro Nuno Santos em comunicado divulgado esta terça-feira, 2 de março.

O parecer negativo por parte dos municípios do Seixal e da Moita – duas autarquias da CDU, coligação do PCP com o PEV – ditou o fim, para já, do projeto para construir um novo aeroporto no Montijo.

Esta Avaliação Ambiental Estratégica foi aprovada pelo Parlamento no âmbito do Orçamento do Estado para 2021. A proposta foi apresentada pelo PEV e outra pelo PAN e foram aprovadas com os votos favoráveis de todos os partidos, retirando o PS que votou contra a proposta.

A atual solução dual – Aeroporto de Lisboa com o aeroporto de Montijo como complementar – vai ser comparada com outras duas hipóteses neste estudo.

Assim, será estudada uma solução dual alternativa, em que o “aeroporto do Montijo adquirirá, progressivamente, o estatuto de aeroporto principal e o aeroporto Humberto Delgado o de complementar”.

Também vai ser estudada outra possibilidade, a “construção de um novo aeroporto internacional de Lisboa no Campo de Tiro de Alcochete”, anunciou hoje o ministério das Infraestruturas.

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) anunciou hoje que chumbou a construção do novo aeroporto para a região da grande Lisboa projetado para a Base Aérea n.º 6, entre o Montijo e Alcochete.

“A ANAC indefere pedido de apreciação prévia de viabilidade da construção do Aeroporto Complementar no Montijo”, anunciou a autoridade esta terça-feira, 2 de março.

Esta decisão foi tomada porque dois dos municípios abrangidos pelo novo aeroporto (Seixal e Moita) manifestaram-se contra a sua construção, face às duas autarquias que se manifestaram a favor (Barreiro e Montijo), e uma que não apresentou o seu parecer (Alcochete).

“Em face do exposto, a ANAC, em cumprimento das disposições legais aplicáveis, deliberou indeferir liminarmente o pedido de apreciação prévia de viabilidade de construção do Aeroporto Complementar no Montijo apresentado pela ANA”, pode-se ler.

ANAC chumba construção do aeroporto do Montijo

Ler mais
Relacionadas

ANAC chumba construção do aeroporto do Montijo

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) chumbou hoje o projeto para a construção do aeroporto do Montijo, depois de duas autarquias terem dado o seu parecer negativo. O novo aeroporto para a região da grande Lisboa não vai avançar.

Governo vai rever lei para impedir que autarquias voltem a chumbar novo aeroporto de Lisboa

Pedro Nuno Santos volta à carga para tentar alterar a lei de forma a impedir que os pareceres negativos das autarquias possam chumbar o futuro aeroporto de Lisboa. As câmaras comunistas do Seixal e Mota ditaram, para já, o fim do projeto do novo aeroporto no Montijo.
Recomendadas

Sines vai arrancar com o projeto do Data Centre Campus

A cerimónia de apresentação do projeto será presidida pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Plano de Recuperação e Resiliência deixou cair cinco projetos rodoviários, mas Governo garante financiamento nacional

Os cinco projetos que deixam agora de contar com financiamento do PRR são o IC35 – Sever do Vouga/IP5(A25); ligação ao IP3 dos concelhos a sul; IC31 – Castelo Branco/Monfortinho; EN341 – Alfarelos (EN342)/Taveiro (acesso ao terminal ferroviário de Alfarelos); e IC6 – Tábua/Folhadosa.

Projeto de lítio para a mina do Barroso entra em consulta pública

Caso não haja atrasos, a concessionária Savannah prevê receber a DIA em agosto de 2021. Dependente dos resultados do EIA, a construção deve iniciar-se em 2022, prevendo-se alcançar a produção comercial em 2023.
Comentários