Grupo BEL passa a ser acionista do Jornal Económico

Acordo hoje assinado prevê que o Grupo BEL, liderado por Marco Belo Galinha, passará a deter uma participação de 35% do capital da Megafin SA, empresa proprietária do JE.

O Jornal Económico tem a partir de hoje um novo acionista. O acordo hoje assinado prevê que o Grupo BEL, liderado por Marco Belo Galinha, passará a deter uma participação de 35% do capital da Megafin SA, empresa proprietária do JE.

O Grupo BEL factura cerca de 300 milhões de euros por ano, estando presente nos sectores da distribuição, indústria, inovação e imobiliário.

Por sua vez, o empresário Luís Figueiredo Trindade permanece o principal acionista da Megafin, com mais de 50% do capital.

A operação foi assessorada pela Optimal Investments, que tem como managing partners Jorge Tome e José Maria Ricciardi, com uma equipa liderada por Miguel Geraldes e Jorge Tomé.

De acordo com o comunicado hoje divulgado pelo Grupo Bel, e a propósito do negócio com a Megafin, o grupo anuncia ter adquirido uma “participação financeira na Megafin, proprietária da marca Jornal Económico, reforçando o seu universo empresarial na vertente de comunicação digital, potenciando, assim, novas competências em todas as áreas do Grupo, tendo a operação sido assessorada financeiramente pela Optimal Investments”.

O Grupo Bel realça ainda que “esta aquisição vai proporcionar novas sinergias entre as suas empresas, nomeadamente com o seu Centro de Inovação, criado em 2015, onde colaboram cerca de cento e dez engenheiros juntamente com as restantes empresas do Grupo”.

No que concerne ao investimento nos media, o novo acionista da Megafin defende que o mesmo “deve ser equacionado não só como uma importante oportunidade, mas principalmente como uma estratégia de auxiliar uma área que merece a confiança do investidor pela reputada capacidade dos quadros profissionais que a preenchem. Foi a pensar no futuro que o Grupo Bel traçou uma estratégia de longo prazo no mercado digital, uma área em constante transformação e determinante na sua cadeia de valor”.

Ler mais
Recomendadas

Crédito às empresas recua em outubro

Em setembro, stock de empréstimos às empresas tinha atingido o máximo desde junho de 2018, ao situar-se perto dos 72.149 milhões de euros.

Nearshoring vai crescer acima dos 10% em 2021

A exportação de serviços nos contact centers deverá crescer acima dos 10% em 2021 e por isso bem acima da média nacional, segundo conclui a Associação Portuguesa de Contact Centers (APCC).

DBRS alerta: Impasse político em Portugal cria incerteza no capital do Novo Banco

“Esta notícia foi inesperada e representa desafios para o Novo Banco, pois cria incerteza para o capital do banco e o plano de redução de riscos em andamento, além de aumentar o potencial de litígio”, refere a agência de rating.
Comentários