Immunethep vence prémio Ibérico de empreendedorismo

Esta empresa portuguesa de biotecnologia venceu o prémio ibérico EmpreendedorXXI na categoria de Ciências da Vida.

A Immunethep venceu o prémio ibérico EmpreendedorXXI na categoria de Ciências da Vida. Esta iniciativa, impulsionada pelo BPI e o CaixaBank, através da gestora de capital de risco Caixa Capital Risc, contou com a candidatura de 146 empresas portuguesas inovadoras, num total de 701 candidaturas de empresas a nível ibérico.

A biotecnológica desenvolve imunoterapias que se baseiam na descoberta de um mecanismo de virulência partilhado pelas diferentes bactérias que causam infeções bacterianas mortais. A Immunethep, um spin-off da Universidade do Porto, está a desenvolver a vacina PNV1 – Paragon Novel Vaccine, que pretende conferir uma proteção robusta contra as principais bactérias que causam infeções mortais incluindo estirpes multirresistentes. A PNV1 pretende ser a primeira vacina capaz de prevenir infeções de múltiplas bactérias e de todos os seus serotipos desde o útero até à terceira idade.

As portuguesas CoolFarm, que desenvolve soluções inteligentes para produções agrícolas, e Heptasense, que dispõe de uma plataforma integrada de reconhecimento de gestos, também ficaram entre as três finalistas das suas categorias, Agroalimentar e Tecnologias de Informação respetivamente, no maior prémio de empreendedorismo da Península Ibérica.

As três empresas vão ter acesso a um programa internacional de crescimento organizado com a Singularity University e a escola de negócios ESADE. Para além deste curso, a Immunethep vai receber um prémio monetário no montante de 25 mil euros.

Recomendadas

CGD: rendimento líquido com comissões e serviços aumentou 13% entre 2015 e 2018

Segundo o Relatório e Contas da CGD de 2015, os rendimentos do banco público com serviços e comissões atingiram os 440,2 milhões de euros, ao passo que os encargos atingiram os 92,7 milhões, resultando num rendimento líquido de 347,5 milhões de euros.

Brasileiros ricos que se mudam para Portugal atraem gestores de fortunas do Brasil

A notícia está a ser avançada pela Bloomberg. Bancos como o Itaú-Unibanco Holding e o Banco Bradesco estão estudar abrir escritórios de gestão de patrimónios em Portugal, no meio de uma onda de brasileiros ricos que se estão a mudar para o nosso país à procura de segurança.

Wells Fargo lucra 16.676 milhões de dólares entre janeiro e setembro, um aumento de 2%

No terceiro trimestre, apenas o Wells Fargo teve um resultado líquido que contraiu 23% para 4,61 mil milhões de dólares.
Comentários