Immunethep vence prémio Ibérico de empreendedorismo

Esta empresa portuguesa de biotecnologia venceu o prémio ibérico EmpreendedorXXI na categoria de Ciências da Vida.

A Immunethep venceu o prémio ibérico EmpreendedorXXI na categoria de Ciências da Vida. Esta iniciativa, impulsionada pelo BPI e o CaixaBank, através da gestora de capital de risco Caixa Capital Risc, contou com a candidatura de 146 empresas portuguesas inovadoras, num total de 701 candidaturas de empresas a nível ibérico.

A biotecnológica desenvolve imunoterapias que se baseiam na descoberta de um mecanismo de virulência partilhado pelas diferentes bactérias que causam infeções bacterianas mortais. A Immunethep, um spin-off da Universidade do Porto, está a desenvolver a vacina PNV1 – Paragon Novel Vaccine, que pretende conferir uma proteção robusta contra as principais bactérias que causam infeções mortais incluindo estirpes multirresistentes. A PNV1 pretende ser a primeira vacina capaz de prevenir infeções de múltiplas bactérias e de todos os seus serotipos desde o útero até à terceira idade.

As portuguesas CoolFarm, que desenvolve soluções inteligentes para produções agrícolas, e Heptasense, que dispõe de uma plataforma integrada de reconhecimento de gestos, também ficaram entre as três finalistas das suas categorias, Agroalimentar e Tecnologias de Informação respetivamente, no maior prémio de empreendedorismo da Península Ibérica.

As três empresas vão ter acesso a um programa internacional de crescimento organizado com a Singularity University e a escola de negócios ESADE. Para além deste curso, a Immunethep vai receber um prémio monetário no montante de 25 mil euros.

Recomendadas

Novas transferências bancárias imediatas chegam a 95% das contas portuguesas

O novo subsistema de transferências foi desenvolvido com base nos requisitos pan-europeus estabelecidos para o processamento destas operações. Ficou, terça-feira, disponível apenas entre contas portuguesas, mas o plano é que se estendam a todos os países da SEPA.

BCE confirma Luís Ribeiro como administrador do Novo Banco

Este é o administrador com a área comercial de retalho que já estava em funções na Comissão Executiva liderada por António Ramalho, e cuja avaliação estava em curso no BCE. O Novo Banco vai ainda ter um novo CFO, o irlandês Mark Bourke, e Jorge Cardoso fica com a área de banca de investimento.

Elisa Ferreira defende procedimentos especiais para insolvências de bancos de média dimensão

Como a resolução de um banco médio, mas com relevância sistémica a nível local, tem um impacto social e económico considerável “precisamos de discutir alternativas para os bancos médios e pequenos que saem do mercado, em vez de avançar em direção a uma nova camisa de forças” global, defendeu a vice-governadora do Banco de Portugal em Basel, Suíça.
Comentários