Império britânico de moda Arcadia entra em PER

O colapso do grupo Arcadia, que tem mais de 500 lojas no Reino Unido, marca a maior derrocada empresarial da pandemia.

Topshop - Topman
Topshop – Topman

O grupo de moda britânico Arcadia entrou esta segunda-feira em processo especial de revitalização (PER), o que poderá colocar em risco 13 mil postos de trabalho da empresa de retalho do multimilionário Sir Philip Green.

Segundo o “The Guardian“, a Arcadia nomeou administradores da Deloitte esta segunda-feira para liderarem o processo.

Entre as marcas do grupo Arcadia encontram-se a Topshop, Topman, Miss Selfridge, Dorothy Perkins, Evans e Burton.

Por enquanto, ainda não foram anunciados despedimentos e as lojas de retalho high street vão continuar a operar durante o PER, que pretende proteger o grupo Arcadia dos credores enquanto se procuram compradores para os ativos, sendo que Sir Philip Green não vai à licitação.

O colapso do grupo Arcadia, que tem mais de 500 lojas no Reino Unido, marca a maior derrocada empresarial da pandemia.

A mesma publicação dá conta de que haverá dez potenciais compradores em linha para comprar alguns ativos.

O PER também faz soar os alarmes sobre o fundo de pensões da Arcardia, que tem um défice de cerca de 350 milhões de libras esterlinas, que deverá também entrar num mecanismo de protecção denominado Pension Protection Find, o que pode significar que os pensionistas que ainda não atingiram a idade da reforma possam perder 10% dos benefícios.

Ler mais
Recomendadas

Propostas dos operadores superam os 194 milhões de euros no quinto dia da licitação principal do leilão do 5G

Em leilão estão faixas dos dos 700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz. No conjunto dos mais de 50 lotes em concurso, o preço base total é de 195,9 milhões. Esta quarta-feira, sete lotes viram o seu preço base aumentar.

Sindicatos da TAP foram avisados de que BE ia propor auditoria à gestão de Neeleman

A auditoria proposta pelo Bloco de Esquerda não será viabilizada no Parlamento. O projeto de resolução entregue pelo BE a recomendar ao Governo uma auditoria à gestão privada da TAP, não chegará a qualquer conclusão no sentido de saber quais são as efetivas responsabilidades do empresário David Neeleman na gestão da TAP e na situação financeira em que a companhia aérea se encontra.

AHRESP defende revogação da medida que proíbe venda de bebidas em ‘take-away’

A associação refere que a medida “apenas vai prejudicar a já difícil situação dos estabelecimentos”. A AHRESP acrescenta que “o que se quer prevenir é o consumo de produtos à porta do estabelecimento ou nas suas imediações, e não a venda”.
Comentários