INE regista dois meses consecutivos de “interrupção quase total” na atividade turística

Em maio, o número de hóspedes terá tombado 93,9%, para 157, 8 mil hóspedes, e o número de dormidas afundou 95%, para 324,3 mil dormidas, de acordo com uma estimativa rápida do INE, divulgada esta terça-feira. Números acrescem aos dados de abril e indicam cenário complexo para a atividade turística, em tempo de pandemia da Covid-19.

A atividade turística no mês de maio manteve “interrupção quase total” do setor, devido aos efeitos da pandemia da Covid-19 em Portugal, depois de o Instituto Nacional de Estatística (INE) ter registado uma atividade “praticamente nula” em abril. Em maio, o número de hóspedes terá tombado 93,9%, para 157, 8 mil hóspedes, e o número de dormidas afundou 95%, para 324,3 mil dormidas, de acordo com uma estimativa rápida do INE, divulgada esta terça-feira.

Estes dados comparam com o mês de abril. Nesse mês, o INE registou uma “expressão praticamente nula” na atividade turística, quando o número de hóspedes caiu 97,4%, para 60,1 mil hóspedes, e o número de dormidas afundou 97%, para 175,5 mil dormidas.

Desta forma, e apesar do INE só revelar os números finais de maio no dia 15 de julho, facto é que a atividade turística portuguesa soma dois meses consecutivos de “interrupção quase total”.

Relativamente às dormidas de residentes, estas terão diminuído 85,6%, quando em abril as dormidas caíram 93%. Já as dormidas de não residentes terão decrescido 98,1%, quando em abril registou-se um tombo de 98,6%. Os números representam uma ligeira melhoria face a abril, mas insuficiente para reanimar a atividade turística.

Em maio, cerca de 69,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes.

Recomendadas

Mar 2020 com 421,7 milhões de euros de despesa pública comprometidos até junho

O programa, que se insere no Portugal 2020, apresenta uma taxa de compromisso de 83,4% e 41% de execução, segundo o ministro Ricardo Serrão Santos.

Revisão do Orçamento dos Açores aprovada na Assembleia Regional

Na apresentação da revisão do orçamento, o vice-presidente do Governo Regional avançou que a proposta prevê um aumento de 210,4 milhões de euros da despesa orçamental e uma redução de 74,6 milhões da receita.

António Costa e Giuseppe Conte avisam que degradação das previsões económicas impõem acordo europeu já

Os primeiros-ministros de Portugal e de Itália alegaram esta terça-feira que o agravamento das previsões negativas da economia feitas pela Comissão Europeia impõe um acordo entre os 27 Estados-membros já na próxima reunião do Conselho Europeu.
Comentários