INE: Inflação sobe ligeiramente em agosto mas permanece negativa

A estimativa rápida do INE revelou que a taxa de inflação em agosto se fixou nos -0,1%, o que representa uma subida ligeira face ao mês anterior. A subida dos preços na restauração e hotelaria sustentaram esta evolução.

A taxa de inflação em Portugal permaneceu negativa nos -0,1% em agosto. Segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE) a inflação subiu ligeiramente face a julho, mês em que a inflação chegou aos -0,3%.

O INE revela que esta evolução se deve, em parte, à recuperação dos preços da classe dos restaurantes e hotéis, verificando-se, em sentido contrário, uma quebra de preços dos combustíveis mais significativa em agosto do que no mês anterior.

A estimativa rápida aponta que o indicador de inflação subjacente terá subido para 0,2%, tendo sido de -0,1% no mês anterior. A taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído para -3,5%, sendo que em julho, esta taxa foi -2,8%.

A variação mensal do Índice Preço no Consumidor terá sido -0,1% (em julho, o valor apurado foi -1,3% e em agosto de 2018 tinha sido -0,3%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,6%, taxa inferior em 0,1 ponto percentual (p.p.) ao registado no mês precedente.

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português terá registado uma variação homóloga de -0,1% (-0,7% em julho).

Relacionadas

Restaurantes e hotéis levam inflação a cair para -0,3% em julho

Esta percentagem representa uma taxa de variação homóloga inferior em 0,7 pontos percentuais em relação ao mês anterior, confirmou esta segunda-feira o INE. Evolução deve-se em grande parte ao contributo da variação negativa dos preços dos setores dos restaurantes e hotéis.
Recomendadas

Premium“Finanças públicas não aguentam” segunda vaga de Covid-19 em Portugal

Apesar do ligeiro aumento de casos ativos em Portugal não configurar, para já, uma segunda vaga da doença, a possibilidade de novo confinamento seria desastrosa para a economia nacional, alertam especialistas ouvidos pelo Jornal Económico.

Receitas turísticas caíram 70% no primeiro semestre para 538,9 milhões de euros

Só em junho, o setor do alojamento turístico registou 493,5 mil hóspedes e 1,1 milhões de dormidas, o que corresponde a quedas de mais de 80% nos dois casos.

PIB da zona euro com maior contração trimestral de sempre

O Produto Interno Bruto da zona euro e da União Europeia caiu como nunca o Eurostat havia registado, fruto das medidas de contenção da pandemia.
Comentários