Insolvências cresceram 44% entre janeiro e abril

No final de abril, tinham sido declaradas a insolvência a 1.173 empresas e registavam-se 19 planos de insolvência aprovados.

O número de entidades insolventes cresceu 44% entre janeiro e abril de 2021 face ao período homólogo de 2020, foi esta sexta-feira anunciado. De acordo com a Iberinform, registaram-se 2.045 insolvências sobretudo por causa do encerramento de processos pendentes. Só em abril, a filial da Crédito y Caución observou 508 insolvências, mais 272 do que em abril de 2020

No primeiro quadrimestre foi requerida a insolvência de 432 empresas, mais 69% face ao período homólogo de 2020, enquanto as declarações de insolvência apresentadas pelas próprias empresas passaram de 363 para 421. No final de abril, tinham sido declaradas a insolvência a 1.173 empresas (+49%) e tinham sido aprovados 19 planos de insolvência (+5,6%).

Em comunicado, a Iberinform salienta que o maior número de insolvências registou-se no Porto (503), seguido de Lisboa (408). “Seguem-se Braga, com 249, Aveiro (161), Setúbal (119) e, a alguma distância, o distrito de Faro (70). Na Madeira foram registadas 50 insolvências (+39%), enquanto nos Açores, Ponta Delgada teve um aumento de 70% face a 2020 (total de 17 insolvências), a Horta manteve um único registo em ambos os anos e em Angra do Heroísmo é de assinalar um decréscimo de 50% face a 2020 (total de quatro insolvências)”, lê-se.

Por sectores, a Iberinform registou aumentos de insolvências em todas as áreas de atividade, com exceção do sector da agricultura, caça e pesca. Ora, o sector das telecomunicações foi o que apresentou maior número de insolvências (+400% em termos homólogos). Seguem-se os secores da “eletricidade, gás, água (+100%), comércio de veículos (+81%), indústria extrativa (+50%), construções e obras públicas (+48%), comércio por grosso (+45%) e outros serviços (+44%)”.

Recomendadas

G7: Líderes apoiam esforços a favor de mais justiça fiscal

O novo paradigma que se está a desenhar conjuga a aplicação de uma taxa mínima global de imposto sobre as grandes empresas com o pagamento dos impostos nos países onde as receitas são obtidas (independentemente do local onde estão fisicamente sedeadas).

Transição verde requer apoios nos planos nacionais

O objetivo de atingir uma economia europeia neutra em emissões de carbono até 2050 exige a inclusão do sector dos transportes nos planos nacionais de recuperação, advoga um consórcio do ramo, dada a forte inovação e modernização necessárias.

G7 comprometem-se em fornecer mais de mil milhões de doses de vacinas anti-Covid

O objetivo será um de fornecer doses aos países mais desfavorecidos cujo o acesso às vacinas seja mais difícil. Distribuição deverá acontecer até ao próximo ano.
Comentários