Investigadora sérvia vence prémio científico da IBM

Um trabalho de investigação da autoria de Marija Vranic.

Esta quarta-feira, dia 16 de janeiro, o Instituto Superior Técnico (IST) recebe a cerimónia de entrega do Prémio Científico IBM que distinguiu este ano o trabalho de uma investigadora desta instituição. O evento contará com a participação do Presidente da República, do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, do presidente do IST, e do presidente da IBM Portugal, entre outras personalidades.

O trabalho de investigação da autoria de Marija Vranic, natural da Sérvia, usou supercomputadores para abordar o estudo dos efeitos de feixes laser de alta densidade energética e as suas aplicações em campos como a medicina, podendo levar à construção de fontes compactas de partículas e de radiação de raios-X e raios-gama. Entre outras, estas fontes podem ser usadas para examinar materiais industriais e fazer imagens médicas de contraste elevado.

“É uma grande honra receber este prémio da IBM, uma vez que é um reconhecimento importante do meu trabalho, juntando-me aos restantes premiados que têm demonstrado um percurso bem-sucedido nas mais diversas áreas científicas e de inovação. Este trabalho, que me permite conciliar a minha paixão pela Programação, Física e Matemática, é desenvolvido ao nível da computação de alto desempenho associado à tecnologia laser e vai possibilitar que surjam novidades para fins industriais e aplicações médicas, facto que me deixa muito orgulhosa”, disse.

O “Prémio Científico IBM” distingue anualmente os melhores trabalhos de elevado mérito científico no campo da computação e das novas tecnologias, estimulando jovens investigadores a divulgarem as suas pesquisas. O júri é constituído por um grupo de cientistas e académicos, de diferentes domínios, que distingue o trabalho mais original e com maior potencial para impactar a investigação científica aplicada ao mundo real e contribuir para projetar o futuro da ciência e da inovação em Portugal.

PCGuia
Recomendadas

União Europeia facilita compras digitais mas Portugal falha prazo

“A Comissão está a acompanhar de perto a situação e em breve decidiremos as próximas medidas para garantir que todos os Estados-membros cumprem as suas obrigações”, diz Nathalie Vandystadt, porta-voz de Bruxelas.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.

Quase 60% das empresas portuguesas não está online

O estudo “Economia Digital em Portugal 2018” concluiu que a maioria das empresas nacionais não tem presença digital. Ou seja, não têm ‘site’ ou redes sociais e os cidadãos nem as conseguem encontrar no Google Maps.
Comentários