Israel e Kosovo estabelecem laços diplomáticos oficiais

Mais um país maioritariamente muçulmano abre relações com o Estado judaico. O governo kosovar quer instalar a sua representação diplomática em Jerusalém. O acordo bilateral foi assinado esta segunda-feira.

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Gabi Ashkenazi, assinou uma declaração conjunta estabelecendo laços com o Kosovo durante uma cerimónia oficial realizada esta segunda-feira via Zoom com a sua homóloga kosovar Meliza Haradinaj Stublla. O país balcânico aceitou também reconhecer Jerusalém como capital do Estado judaico, uma vez que será nessa cidade que vai abrir a sua representação diplomática. O Kosovo junta-se assim aos Emirados Árabes Unidos, Barhen, Sedão e Marrocos, os outros países muçulmanos que decidiram estabelecer laços diplomáticos com Israel – facto que tem merecido acesa crítica por parte da Autoridade Palestiniana.

Citado pela comunicação social israelita, Ashkenazi disse ter aprovado o “pedido formal do Kosovo para abrir uma embaixada em Jerusalém”. “O estabelecimento de relações entre Israel e o Kosovo é um passo histórico importante e comovente que reflete as muitas mudanças que a região experimentou nos últimos meses”, disse. “Hoje, o Kosovo junta-se oficialmente ao círculo de países que aspiram à paz e à estabilidade e reconhecem Israel, e Jerusalém como sua capital”.

Ambas as partes assinaram dois acordos de cooperação – um para estabelecer as suas relações diplomáticas e outro relativo às atividades da agência de desenvolvimento internacional de Israel, a Mashav. A representação kosovar deverá ser inaugurada no feriado da Páscoa, no final de março.

A decisão sobre o reconhecimento mútuo entre Kosovo e Israel foi alcançada em setembro passado, como o JE escreveu na altura, numa uma cimeira dos líderes do Kosovo e da Sérvia mantida na Casa Branca pelo ex-presidente Donald Trump. Na reunião, a Sérvia também concordou em transferir a sua embaixada em Israel para Jerusalém, o que não aconteceu até agora. Para já, apenas os Estados Unidos e a Guatemala transferiram a sua embaixada para Jerusalém.

“Agradeço aos Estados Unidos pelos seus esforços para promover a paz mundial e as relações de Israel com países com os quais não tínhamos relações diplomáticas até recentemente”, disse Ashkenazi. Os Estados Unidos foram representados virtualmente pelo seu representante do Departamento de Estado na região dos Balcãs, Matthew Palmer.

A maioria das nações ocidentais reconheceu a independência do Kosovo face à Sérvia, proclamada unilateralmente em fevereiro de 2008. A própria Sérvia mas também a Rússia e a China não reconheceram ainda esta proclamação. Recorde-se que Israel ainda não tinha reconhecido a independência do Kosovo, uma vez que não queria apoiar uma declaração unilateral de um Estado para não abrir um precedente que poderia ser politicamente importante para a Palestina.

Recomendadas

Goldman Sachs quer aumentar diversidade étnica e de género nas cotadas do S&P 500 e do FTSE 100

A Goldman Sachs Asset Management diz que quer estar na vanguarda para impulsionar uma maior diversidade e inclusão nos conselhos de administração em todo o mundo.

Turquia pede ao Conselho da Europa que evite sanções contra o país

A Turquia apelou ao Conselho da Europa para evitar qualquer penalização contra o país, numa altura em que se mantém a ameaça de uma rara sanção pela detenção sem julgamento do mecenas Osman Kavala.

Alemanha em mudança com foco no novo ministro das Finanças. Ouça o podcast “A Arte da Guerra” com Francisco Seixas da Costa

Do novo Governo da Alemanha ao divórcio entre eleitores e poder político na Argélia passando pelos conflitos entre Reino Unido e França com o Brexit pelo meio. Tensão é a palavra que marca esta edição do podcast do JE, que conta com a análise do embaixador Francisco Seixas da Costa.
Comentários